Indústria Amorim põe 10% da Corticeira à venda

Amorim põe 10% da Corticeira à venda

As empresas sob o comando de Américo Amorim lançaram uma oferta particular de venda de 10% da Corticeira Amorim. Mesmo após a alienação, ficarão com mais de 70% da companhia. Só investidores institucionais podem comprar.
Amorim põe 10% da Corticeira à venda
Paulo Duarte
Diogo Cavaleiro 03 de Novembro de 2016 às 17:01
Américo Amorim está a vender 10% da sua Corticeira Amorim, num processo em que só investidores qualificados vão poder adquirir a participação. Mesmo após a venda, o empresário manterá mais de dois terços da produtora de cortiça.  Em causa está uma oferta particular de venda, lançada esta quinta-feira, 3 de Novembro, que "na sua globalidade pode abranger até 13.300.000 acções representativas de até 10% do capital da Corticeira Amorim", indica o comunicado da empresa na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).  

As empresas vendedoras são a Amorim International Participations, que aliena uma fatia de 5% da sua posição de 15,086%, e a Investmark Holdings, com uma participação de 18,778% disposta a alienar uma tranche igualmente de 5%. Américo Amorim tem ainda 51% da Corticeira através da Amorim Capital, mas dessa não sairá qualquer posição com esta operação. Assim, mesmo depois de se desfazer desta participação de 10%, o grupo do empresário permanecerá com mais de 70% da Corticeira Amorim.

As duas sociedades que agora estão a vender as posições comprometem-se a, por 180 dias, não alienar o resto do capital que têm em mãos. Os números finais só serão conhecidos esta sexta-feira, 4 de Novembro, altura em que a Corticeira Amorim, sob o comando de António Rios de Amorim, acredita estar já concluído o processo de "accelerated bookbuilding", uma venda acelerada daquelas acções a investidores institucionais. 

Corticeira em máximos nas últimas semanas 

Conforme indica o comunicado, a operação, coordenada pelo UBS com a ajuda do BPI, está sujeita "à procura, preço e condições de mercado". Neste momento, não se sabe qual será o encaixe com esta operação mas as acções da companhia industrial têm estado em valores historicamente altos nos últimos meses na Bolsa de Lisboa.  

A Corticeira Amorim esteve, em Outubro, nas cotações mais elevadas de sempre (9,899 euros). Esta quinta-feira, encerrou a valer 8,645 euros. A última semana tem sido negativa para a empresa industrial, caindo há quatro dias seguidos. 

Venda justificada com procura 

É com o sucesso em bolsa que a Corticeira justifica a operação desencadeada pelo grupo cujo líder, Américo Amorim, deixou há poucas semanas a presidência da Galp Energia por motivos pessoais.  

"Os oferentes visam contribuir para o reforço do nível de dispersão do capital social da Corticeira Amorim, indo de encontro ao crescente interesse manifestado por investidores, nacionais e internacionais, potenciando a liquidez do título e fomentando uma maior representatividade do título no PSI-20, em linha com a contribuição da Corticeira Amorim para a economia portuguesa", assinala o comunicado à CMVM.

Neste momento, enquanto 83% do capital da empresa é imputado a Amorim, apenas 15% está disperso em bolsa em participações minoritárias. É este, o chamado "free float" - a dispersão de capital - que os oferentes pretendem aumentar com a operação. 

A Corticeira Amorim apresentou, nos primeiros nove meses do ano, um aumento de 32,7% dos lucros para 55,2 milhões de euros, mais 32,7%. Para os accionistas, o conselho de administração da líder mundial da cortiça propõe a distribuição de um dividendo extraordinário de 8 cêntimos por título. 


Mais vendas de Amorim

Esta não é a única alienação de posições do grupo. A Corticeira Amorim está a vender uma posição na norte-americana US Floors, adquirida há oito anos. 

Da mesma forma, a Amorim Energia, parceria do grupo com a empresária angolana Isabel dos Santos, desfez-se de 5% da Galp Energia também através de um "accelerated bookbuilding".


Os oferentes visam contribuir para o reforço do nível de dispersão do capital social da Corticeira Amorim, indo de encontro ao crescente interesse manifestado por investidores Comunicado da corticeira amorim

(Notícia actualizada às 17:35 com mais informações)




A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 8 horas


Os ladrões de esquerda

PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO AOS FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

comentários mais recentes
Anónimo Há 6 horas

Enfim e vida;os que podem ter as portas abertas fecham-nas,outros(o meio amarelado d.branca)que nao tem onde cair de morto quer abrir portas(cancelas) com os brazucas.Bem tenta limpar a porcaria(imagem) que fez,nao tem mais cura.Tantos sucessos falsos atravez de mentiras.

Tuga Há 7 horas

Prepara-se para arranjar dinheiro para comprar a posição da Belinha falida na GALP, Este gajo só tem a quarta classe e não ter grandes escrupulos mas que tem olho pro negocio têm!

Anónimo Há 8 horas

Faz bem em vender só espero que sejam os chineses a comprar...

A venda de mais valias serve para Há 8 horas

várias coisas. Realizar capital, baixar responsabilidades na empresa, distribuir encargos públicos por outros acionistas, preparar-se para outra aquisições estratégicas, etc, etc,

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub