Energia Amorim reduz penhor financeiro de acções da Galp a favor do Totta

Amorim reduz penhor financeiro de acções da Galp a favor do Totta

O maior accionista da energética portuguesa reduziu para 1,23% do capital social e dos direitos de voto o penhor financeiro constituído sobre os seus títulos junto do Santander Totta.
Amorim reduz penhor financeiro de acções da Galp a favor do Totta

A Amorim Energia reduziu a quantidade de acções da Galp abrangidas pelo penhor financeiro constituído pela empresa a favor do banco Santander Totta, tendo subtraído cerca de 8,9 milhões de acções aos títulos inicialmente abrangidos.

Segundo anunciou a Galp esta terça-feira, 27 de Dezembro, em comunicado enviado à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), o penhor firmado em 19 de Fevereiro de 2016 passou, com esta alteração, a recair sobre 10.233.712 acções da Galp Energia, correspondentes a 1,23% do capital social e dos direitos de voto.

O penhor financeiro faz parte do acordo de financiamento do banco do grupo espanhol à maior accionista da petrolífera nacional. Aquando da celebração inicial, abrangia 23.292.194 títulos da companhia, representativos de 2,8% do capital social e dos direitos de voto. Esta alteração, feita em aditamento ao contrato de penhor, foi celebrada a 21 de Dezembro.

"Este penhor financeiro mantém inalteradas as características contratuais previamente comunicadas ao mercado em 25 de Fevereiro de 2016, designadamente não conferindo ao BST quaisquer direitos sociais inerentes às acções empenhadas, nomeadamente o direito de voto, os quais continuarão a ser exercidos, em permanência, pela Amorim Energia," acrescenta o comunicado.

Além destas acções que estão em penhor no Totta, e segundo o mesmo comunicado, o Santander detém 212.032 acções da Galp Energia e mais participações indirectas através da Cartera Mobiliaria (150.000 acções) e da Santander Asset Management (311.424 títulos em fundos de investimento mobiliário sob gestão). No total, representam 0,0813% do capital social e dos direitos de voto da Galp.

A Amorim Energia tem 33,34% da empresa presidida por Carlos Gomes da Silva., depois de em Setembro ter vendido 5% da companhia, encaixando 485 milhões de euros.

No passado, as duas instituições tiveram um acordo de financiamento sob a forma de um contrato de "equity swap", envolvendo acções representativas de 2,22%, assinado em 20 de Julho de 2012 quando o grupo de Américo Amorim estava a reforçar na Galp com a compra da posição da italiana Eni.


As acções da Galp encerraram a sessão desta terça-feira a cair 0,25% para os 14,16 euros. A este preço, a posição que agora fica sob penhor financeiro está avaliada em 144,9 milhões de euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub