Start-ups Ampd Energy: a reforma dos geradores a diesel

Ampd Energy: a reforma dos geradores a diesel

Há vários países do mundo com uma rede eléctrica precária. A solução para contrariar os percalços gerados por um sistema frágil é muitas vezes o recurso a um gerador. Mas não por muito tempo. Uma start-up sedeada em Hong Kong desenvolveu uma solução que permite armazenar energia.
Ampd Energy: a reforma dos geradores a diesel
Ana Laranjeiro 21 de janeiro de 2017 às 10:15

No mundo há três milhões de pessoas, e milhares de empresas, presentes em regiões do mundo com uma infra-estrutura eléctrica precária, com os consequentes efeitos negativos para a qualidade de vida das pessoas e que levanta problemas às actividades empresariais.

Esta premissa está na base daquilo que a Ampd Energy faz, explica Brandon Ng, co-fundador e CEO da start-up. "O problema que resolvemos é o da electricidade precária a nível mundial. É um assunto muito importante para três milhões de pessoas e milhares de empresas. De acordo com o Banco Mundial, custa às empresas mundiais 4,7% das receitas totais", explica aos jornalistas.

As soluções presentes no mercado, como é o caso dos geradores, não são adequadas, porque têm uma fraca integração com a rede, são "desastrosas" em termos ambientais, têm pequena duração e exigem uma elevada manutenção.

Neste sentido, criaram uma solução que tem como objectivo fornecer energia de uma forma fiável e menos dispendiosa, através do armazenamento de energia que já foi gerada.


"O que fizemos foi pegar em várias baterias de lítio e colocámo-las num sistema, que chamamos Ampd Silo. Em última análise, é um armazenador de energia". Com esta tecnologia, quando a luz for abaixo, o Silo entra de imediato em acção permitindo que as pessoas, ou empresas, não fiquem às escuras.

Em fase de pré-produção, esta solução foi assim "desenhada para se ligar directamente com a rede". "Foi desenhada para estar entre a rede e os dispositivos eléctricos que são ligados à rede. Carrega quando a rede está viva e quando a rede morre começa a fornecer energia aos dispositivos".

Esta solução de armazenamento energético tem vários objectivos principais: maximização da segurança, assegurar a fiabilidade eléctrica e gerir a transferência de calor. A start-up inscreveu já vários pedidos de patentes internacionais.

Brandon Ng explica que vão lançar esta solução em Hong Kong e Macau mas que os principais mercados são aqueles que têm redes eléctricas precárias. A Indonésia e as Filipinas são dois dos destinos no mapa da empresa.


Um parque onde se respira inovação


A Ampd Energy é apenas uma das mais de 200 start-ups instaladas no Hong Kong Science and Tecnology Parks Corporation. Além de start-ups conta também com pequenas e médias empresas (PME), num total que ascende a mais de 600 empresas.

Com 15 anos, o Hong Kong Science and Tecnology Parks Corporation foi-se expandindo ao longo dos anos contando agora com quatro edifícios (o quinto está em construção e deve ficar finalizado em 2020) espalhados por 20 hectares. Os edifícios, além de espaço de escritório, contam com vários laboratórios que podem ser usados pelas start-ups também para o desenvolvimento das suas soluções.

Este parque está focado em cinco áreas: biotecnologia, tecnologias de informação e comunicação, electrónica, engenharia de precisão e de materiais e tecnologias verdes.

 

 

Jornalista em Hong Kong, a convite do Governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub