Transportes AMT: Câmaras têm vagas para 1.300 licenças de táxi

AMT: Câmaras têm vagas para 1.300 licenças de táxi

O presidente da AMT salientou no Parlamento que o número de táxis no país está estável há uma década, enquanto as dormidas cresceram 30%. O regulador detectou que as autarquias ainda têm licenças disponíveis.
AMT: Câmaras têm vagas para 1.300 licenças de táxi
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 12 de abril de 2017 às 11:31

O presidente da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT), João Carvalho, revelou esta quarta-feira, 12 de Abril, no Parlamento que existem 13.776 táxis licenciados no país, um número que se mantém praticamente há uma década, havendo ainda vagas nas câmaras municipais para mais 1.300 licenças.

Ouvido no Parlamento sobre o plano de actividades para 2017, o presidente do regulador do sector dos transportes, adiantou que na próxima semana a AMT divulgará um relatório com uma análise ao sector do táxi, no âmbito do qual foram ouvidas as câmaras municipais e as regiões autónomas.

De acordo com João Carvalho, o crescimento no número de táxis em Portugal na última década "é praticamente nulo, de 0,9%", ao mesmo tempo que "o crescimento das dormidas anda entre 30% e 40% nomeadamente em Lisboa e Porto."

Lisboa e Porto representam cerca de 30% dos 13.776 táxis, disse ainda João Carvalho, salientando que a AMT nesta análise detectou "disparidades várias entre concelhos."

De acordo com o presidente do regulador, "há vagas para 1.300 licenças de táxis nas câmaras, as licenças não estão todas utilizadas."

Sobre a proposta de legislação que está no Parlamento para regulamentar a actividade das plataformas como a Uber ou Cabify, João Carvalho salientou que no entender da AMT "para bem de todos os envolvidos quanto mais rápido a situação legislativa for resolvia melhor."

"Investidores que não tenham regras claras dificilmente conseguirão sobreviver", afirmou o responsável da AMT.


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ruben Há 2 semanas

Queremos menos taxis! E não mais oportunistas das rendas monopolistas geradas em mercados anti-concorrenciais sem qualquer tipo de avaliação! Bam!

pub
pub
pub
pub