Aviação ANA afirma não haver perturbação nos aeroportos em dia de greve

ANA afirma não haver perturbação nos aeroportos em dia de greve

A empresa gestora dos aeroportos nacionais, a ANA, informou este domingo não haver perturbação devido ao primeiro de dois dias de greve dos trabalhadores das empresas de segurança privada.
ANA afirma não haver perturbação nos aeroportos em dia de greve
Bruno Simão/Negócios
Lusa 24 de dezembro de 2017 às 10:32

Fonte oficial da ANA Aeroportos de Portugal referiu à agência Lusa que as operações decorrem com normalidade.

A Lusa aguarda ainda um balanço do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA), que já informou não estar prevista qualquer concentração de trabalhadores como forma de protesto, além da paralisação.


Os trabalhadores das empresas Prosegur e Securitas estão em greve para exigir melhores condições laborais.


Num comunicado divulgado na sexta-feira, a ANA tinha informado que, face ao anúncio da greve e ao elevado aumento de tráfego registado nos últimos meses, era previsível que os procedimentos de controlo de segurança nos aeroportos nacionais fossem "mais demorados" nos dias 24 e 25 de Dezembro.


Assim, recomendava que na véspera e dia de Natal os passageiros se desloquem para os aeroportos "com maior antecedência e sigam as instruções transmitidas pela sua companhia aérea, operador turístico ou agência de viagens".


A empresa sugeria ainda que os passageiros "procedam ao despacho de bagagem no 'check-in', para reduzir o número de peças a rastrear no controlo de bagagem de mão".


"A ANA lamenta os possíveis constrangimentos causados aos passageiros, indo desenvolver todos os esforços no sentido de minimizar os impactos que a greve possa causar", adiantava a empresa no comunicado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar