Telecomunicações Anacom aprova redução de 43% no preço das terminações móveis

Anacom aprova redução de 43% no preço das terminações móveis

O regulador aprovou uma redução das tarifas móveis para “corrigir distorções na concorrência que penalizam o mercado”, nomeadamente os “operadores de menor dimensão”.
Anacom aprova redução de 43% no preço das terminações móveis
Bruno Simão
Sara Ribeiro 22 de janeiro de 2018 às 15:41

A Anacom aprovou um projecto de decisão que obriga os operadores a reduzir para 0,43 cêntimos de euro por minuto o preço de terminação móvel – valor que um operador paga a outro quando o seu cliente liga para um utilizador de outra rede.

A nova tarifa grossista, que entrará em vigor a partir de 1 de Julho de 2018, "traduz uma redução da ordem dos 43% face ao preço actualmente em vigor – 0,75 cêntimos de euro/minuto", detalha o regulador liderado por João Cadete de Matos (na foto).

Segundo a Anacom, "a descida das tarifas de terminação móvel reveste-se de grande relevância, pois permite corrigir distorções na concorrência que penalizam o mercado, em particular os operadores de menor dimensão". Além disso, "permite uma redução do esforço financeiro suportado pelos operadores de menor dimensão que assim poderão melhorar a sua capacidade competitiva e tornar-se mais atractivos, podendo daqui decorrer benefícios para os consumidores em geral", sustenta.

A recente decisão da Anacom, que tem o "intuito de promover a certeza regulatória, também vai "viabilizar a existência de tarifários com preços iguais independentemente da rede de destino ou que incluem chamadas gratuitas para todas as redes, contribuindo para eliminar esse efeito de rede, já que não penaliza a realização de chamadas para fora da rede do operador a que pertence", lê-se no mesmo documento.

O projecto de decisão aprovado pela Anacom, que fica agora consulta pública durante 30 dias, identifica já "o valor do preço máximo do serviço grossista de terminação móvel para os exercícios de 2019 e 2020, actualizados pelos dados da inflação existentes e previstos". Assim, a partir de 1 de Julho de 2019 "o preço corresponderá ao valor de 0,41 cêntimos de euros, actualizado pelos dados da inflação, e a partir de 1 de Julho de 2020 será de 0,36 cêntimos de euro".




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 22.01.2018

E quanto é que custa cada GB? baixem esse preço e teremos concorrência a sério e os consumidores vão agradecer. Voz e sms já era. Poeira para os olhos.

deixem o MILENIUM BCP subir Á VONTADE 22.01.2018


Faltam três fases e razões para a ação subir:
1ª - saída definitiva de lixo de Portugal que será praticamente oficial a 20 de Abril pela Moody's;
2ª - o rating do BCP ainda está no lixo e quando sair dessa categoria fará as ações do mesmo subir;
3ª - retoma dos DIVIDENDOS

o BCP perdeu mais de 800 % em 10 ANOS 22.01.2018

o MILENIUM BCP perdeu mais de 800% em 10 ANOS por ISSO AGORA deixem o BCP SUBIR á VONTADE não SEJAM INVEJOSOSOS este ANO pode muito BEM subir 200% OU 300% TEM TUDO A SEU favor POR isso deixem o MILENIUM BCP em PAZ

só os imoveis do BCP valem 0.50 22.01.2018





COM esta subida de mais de 50% do imobiliario do MILENIUM BCP são MAIS do que suficiente para as ações ULTRAPASSAREM os 0.50 por AÇÃO e não estes miseraveis 0.30 em que se encontram

ver mais comentários
pub