Telecomunicações Anacom com administração completa

Anacom com administração completa

O Conselho de Ministros nomeou os três elementos que faltavam para o conselho de administração da Anacom, que fica assim com os cinco membros previstos nos estatutos.
Anacom com administração completa
Miguel Baltazar
Depois de uma primeira tentativa de nomear três elementos para a administração da Anacom que foi abortada, e depois de o Parlamento ter vetado os nomes (o que embora não sendo vinculativo foi tido em conta pelo Governo), o Executivo conclui agora o processo de escolha do resto do conselho do regulador das telecomunicações.

Em conselho de ministros foram aprovadas as nomeações dos três vogais que faltavam à Anacom: João Monteiro Coelho, Paula Lourenço e Sandro Mendonça, conforme foi comunicado pela Presidência do Conselho de Ministros.

Os três elementos já tinham recebido concordândia do Parlamento, que aprovou os três nomes, depois das respectivas audições. E aprovou-os por unanimidade, conforme o Negócios deu conta.

Estes três elementos substituíram, nas escolhas governativas, três nomes anteriores que embora aprovados pela Cresap tiveram um chumbo parlamentar. Os deputados deram parecer negativo às propostas de nomeações de Dalila Araújo, Margarida Sá Costa e Francisco Cal, as duas primeiras por ligações à Altice.

Com a entrada de João Monteiro Coelho, Paula Lourenço e Sandro Mendonça, fica completa a equipa que é composta por cinco membros. Estes nomes juntam-se ao presidente João Cadete de Matos, que entrou no ano passado, e de Isabel Areia, que já estava com os administradores anteriores. 

O conselho estava a funcionar actualmente com três elementos: Cadete de Matos, Isabel Areia e José Perdigoto que aceitou ficar até que os novos membros entrassem, mas cujo mandato já tinha terminado.

João Miguel Coelho, até agora economista do Banco de Portugal e coordenador da Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) da Assembleia da República, é mestre em Economia da Universidade Nova e licenciado em Economia pelo ISEG.

 

Sandro Mendonça também é economista e professor de economia no ISCTE e no ISEG.

 

Já Paula Meira Lourenço (na foto) transita da área jurídica da CMVM. Esta jurista foi entre 2005 e 2009 adjunta do secretário de estado da administração local de José Sócrates que era à época Eduardo Cabrita, tendo no governo de Guterres (2000 a 2002) sido assessora também de Eduardo Cabrita que era o secretário de Estado adjunto do ministro da Justiça António Costa.








A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Os especialistas??? dos gabinetes é que estão a dar . Hoje em DR mais uma especialista?? para diretora geral das atividades económicas. Que bom é ser especialista nos gabinetes , dá-nos logo acesso a um grande tacho

Marco Há 1 semana

5 administradores do regulador das telecomunicações, dos quais ZERO possuem formação e/ou experiência em telecomunicação.

Lindo !!!

FGREAT Há 1 semana

Não servem para nada mas esta ao menos tem uma administradora bonita.......

Ciifrão Há 1 semana

A Anacom completa de inutilidades.

ver mais comentários