Comércio Analistas: Estudo da Deco destaca desajuste da percepção dos preços do Minipreço

Analistas: Estudo da Deco destaca desajuste da percepção dos preços do Minipreço

Os analistas do Haitong acreditam que o “compromisso da Sonae com a liderança de preços” baixos é para continuar. Já para o Dia, que detém o Minipreço, o cenário traçado é menos positivo.
Analistas: Estudo da Deco destaca desajuste da percepção dos preços do Minipreço
Miguel Baltazar
Sara Ribeiro 30 de outubro de 2017 às 13:11

Para os analistas do Haitong, as conclusões do estudo da Deco sobre os supermercados com os preços mais baixos são positivas para a Sonae e para a Jerónimo Martins, que detêm o Continente e o Pingo Doce. Já para o Dia, que detém o Minipreço, o cenário é mais negativo.

De acordo com o estudo, o Continente e o Continente Modelo são as cadeias de supermercados mais baratas do país, destronando o Jumbo, que agora ocupa a terceira posição. Segue-se o Pingo Doce que subiu uma posição para o quarto lugar, tendo ultrapassado o Lidl.

No caso da Sonae, os analistas do banco de investimento destacam que "os resultados do estudo mostram o seu compromisso com a liderança de preços", que deverá continuar e "permitir um crescimento positivo de LfL [like-for-like, ou seja, crescimento das vendas nas lojas que operaram sob as mesmas condições] no médio prazo.

Quanto ao Pingo Doce, "pensamos que é positivo porque recuperou a liderança de preços face ao Lidl no segmento de proximidade. Na nossa opinião, isso poderia explicar a pequena deterioração da margem que vimos no terceiro trimestre para as operações domésticas da Jerónimo Martins", lê-se na mesma nota do Haitong.

As maiores preocupações levantadas pelos analistas dizem respeito ao Minipreço, detido em Portugal pelo Grupo Dia. "O estudo mostra que os preços do Dia são, em média, mais caros e, na nossa opinião, é um grande risco para o Dia", referem os analistas, relembrando que a pesquisa da Deco não tem em conta os descontos oferecidos através dos cartões de fidelidade, "que historicamente penalizaram o Dia versus os seus concorrentes".

"Com base na orientação da empresa, estimamos que historicamente os descontos nos cartões de fidelidade representaram 2% / 3% das vendas do Dia e, portanto, o hiato real para o Pingo Doce deve ser de cerca de 1% / 2%, enquanto que no caso dos preços da Lidl deve ser amplamente alinhado".

Por estes motivos, acreditam que "mais cedo ou mais tarde, essa lacuna entre a percepção e a realidade terá de acabar, quer porque os consumidores percebem que os preços são mais altos ou porque o Dia é forçado a reduzir os preços novamente, impactando a sua rentabilidade".

A nota da Haitong realça ainda que tanto o Pingo Doce como o Lidl "desfrutam de uma reputação muito forte" na qualidade dos produtos de marca própria e "têm uma experiência de compra muito melhor".

"Na nossa opinião, essas lacunas de preços não devem ser suficientes para que o Dia possa alcançar consistentemente Lfl positivas". "Na verdade", continuam, "achamos que este estudo destaca, mais uma vez, o desajuste entre a percepção de preços e os preços reais do Dia. Pensamos que, em geral, os consumidores percepcionam o Dia como um supermercado bastante barato devido ao investimento relativamente baixo ao nível da loja e ao nível inferior do serviço versus outros "players" como Pingo Doce e Lidl", conclui a mesma nota.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

alguns produtos do minipreço quase duplicaram de preço no espaço de poucos dias!!
isto só mesmo na tugolândia - até lá fazia algumas compras mas agora só mesmo se houver promoções muito boas é que lá volto a comprar o que quer que seja... embrulhem!

General Ciresp Há 2 semanas

O Lidl esta a precisar de uma direcao freca e nova.Creio que essa cadeia na Europa supera todas as outras nos precos mais baixos,pelo menos ca sim.Os alemaes tem de mudar a direcao em portugal antes que seja tarde.Defacto tive ocasiao de verificar isso quando estive de ferias.Tudo faz pouco do pobre

Anónimo Há 2 semanas

Até que enfim alguém repara que estes senhores do DIA tem os preços caros e muitos de fraca qualidade e a ASAE devia era verificar os armazéns onde eles guardam os alimentos , e os prazos de validade das promoções só compra no DIA quem realmente não conhece (CONTINENTE --LIDL--PINGO DOCE)

Guilherme Há 2 semanas

Mas o Lidl não falha um preço enquanto o Modelo, marca um e cobra outro. São os maiores 'vigaristas', ou então, incompetentes, que existe, pela minha experiência. Não há uma única vez que a conta esteja certa. E o pior é que não corrigem. Uvas em promoção. Comprei. Cobraram sem promoção. Protestei. Assinei um talão pela devolução do dinheiro. No dia seguinte, exatamente a mesma coisa com o mesmo produtos, as uvas. Depois de todo o trabalho, não foram capazes de corrigir a informação. Quantas pessoas terão levado, por causa da promoção, e pago a totalidade sem desconto? Porque se todas se queixassem como eu, era impossível não terem corrigido o erro. Espero que a ASAE passe a pente fino todos os Modelos do país.

pub