Empresas Anfitriões portugueses da Airbnb ganharam em média 3.350 euros extra

Anfitriões portugueses da Airbnb ganharam em média 3.350 euros extra

Os anfitriões portugueses da Airbnb, a plataforma de aluguer de alojamento a viajantes, receberam um total de 1,65 milhões de hóspedes no ano passado, o que representa um crescimento de 84% face a 2015.
Anfitriões portugueses da Airbnb ganharam em média 3.350 euros extra
Bloomberg
Rita Faria 16 de fevereiro de 2017 às 11:56

De acordo com os dados revelados pela empresa, esta quinta-feira, 16 de Fevereiro, o anfitrião tipo português tem, em média, 42 anos, e obteve um rendimento extra de 3.350 euros por ano. Alugou o seu espaço, em média, 39 noites por ano, sendo que os hóspedes do Airbnb têm uma estadia média de 4,3 noites.  

 

Por outro lado, o número de portugueses que utilizaram a plataforma para se alojarem nas suas viagens disparou 120% para um total de 264 mil utilizadores no ano passado.

 

"A comunidade Airbnb continua a crescer no nosso país e representa, claramente, um novo motor económico que está a ajudar a crescer e a diversificar o turismo, em Portugal", afirma Ricardo Macieira, responsável da plataforma em Portugal, citado no comunicado. "Este movimento também proporciona a criação de novas actividades económicas e democratiza os benefícios para as famílias da classe média e para o comércio local em todo o país".

 

Airbnb entregou 1,74 milhões de euros de taxa turística em Lisboa

 

Lisboa é a cidade portuguesa que tem mais hóspedes da Airbnb, tal como utilizadores desta plataforma como solução de alojamento nas suas viagens. No ano passado, a capital portuguesa recebeu um total de 718 mil hóspedes, uma subida de 66% face a 2015. No que respeita aos utilizadores, foram 77 mil os lisboetas que recorreram à plataforma em 2016.

 

"No âmbito do acordo que a Airbnb celebrou com a Câmara Municipal de Lisboa, relativamente à colecta da taxa turística de 1 euro por noite na capital portuguesa, desde Maio de 2016 até ao final do ano, a plataforma entregou 1,74 milhões de euros à autarquia", informa a empresa.

 

No Porto, o número de hóspedes praticamente duplicou em 2016 para 293 mil. Em média, cada visitante dormiu 3,4 noites na cidade invicta, que conta com 5.000 anfitriões activos.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 16.02.2017

O arrendamento habitacional devia ser considerado como um ato de ação social e como tal taxado com um IRS mais baixo na ordem dos 6%. Além disso a legislação ainda é muito apertada e como tal impõe aos proprietários a opção mais vantajosa que passa pelo alojamento local ou de curta duração.

Anónimo 16.02.2017

Excesso de oferta, rentabilidade de m........, pelos números apresentados os portugueses que tem alojamentos só podem ter uma tara por estrangeiros(as) para retirarem os espaços do mercado de arrendamento tradicional que bem falta fazem.

Saber mais e Alertas
pub