Start-ups Antiga Snapchat submete processo para entrada em bolsa

Antiga Snapchat submete processo para entrada em bolsa

A Snap, antiga Snapchat, já submeteu os formulários necessários à dispersão de capital no mercado accionista, numa operação que pode avaliar a empresa em mais de 23 mil milhões de euros.
Antiga Snapchat submete processo para entrada em bolsa
Reuters
Ana Laranjeiro 16 de Novembro de 2016 às 11:53

Os rumores parecem estar a concretizar-se. Nas últimas semanas tem vindo a público que a Snap, antiga Snapchat – uma start-up que disponibiliza um serviço de troca de mensagens que se apagam em poucos segundos (e que pode incluir fotos e vídeos) -, estava a trabalhar no sentido de entrar em bolsa. Surgiram inclusivamente notícias que indicavam quais os bancos contratados para tratar da operação.

Nas últimas horas, o Wall Street Journal avançou que a empresa liderada por Evan Spiegel já deu entrada aos papéis necessários ao processo, ainda que de forma confidencial, para avançar com uma oferta pública inicial (IPO na sigla inglesa). O ingresso dos documentos para esta operação terá sido entregues ao regulador do mercado de capitais nos Estados Unidos nas últimas semanas, de acordo com fontes do jornal. O Financial Times explica que a empresa pode submeter os documentos de forma privada através do Jobs Act, isto porque as suas receitas estão abaixo de mil milhões de dólares.

Esta operação pode avaliar a empresa em 25 mil milhões de dólares – mais de 23 mil milhões de euros ao câmbio actual – e a confirmar-se este valor, a Snap pode ser uma das cotadas com mais atenção nos últimos anos.

A negociação em bolsa da Snap pode acontecer já em Março do próximo ano. A concretizar-se, e com a avaliação que tem sido avançada na imprensa, será uma das entradas no mercado de capitais mais elevada desde que o Alibaba Group se estreou em bolsa com uma avaliação de 168 mil milhões de dólares em 2014, escreve o WSJ.


O jornal económico britânico acrescenta que a Snap vai ser a primeira de um nova geração chamada de mega-unicórnios, start-ups tecnológicas privadas com avaliações de milhares de milhões de dólares, que entram para os mercados bolsistas depois de um período em que se afastaram deste tipo de operações e optaram por levar capital através de fundos privados.

A última avaliação conhecida da Snap era de 15 mil milhões de dólares, altura em que levantou 1,8 mil milhões de dólares junto de fundos como a Sequoia Capital, General Atlantic e T Rowe Price. A Kleiner Perkins, Benchmark, Alibaba, Yahoo e Fidelity acompanharam esta ronda, segundo a mesma fonte.

No final de Setembro, a Snap Inc (a start-up mudou o nome porque não tem agora apenas o serviço de mensagens) apresentou os Spectacles. Aparentemente, trata-se de uns óculos de sol normais. Mas na verdade contêm uma câmara de vídeo integrada que permite aos utilizadores gravarem pequenos vídeos – de cerca de 10 segundos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub