Media Antigo presidente da Media Capital vai ser o próximo CEO da Prisa

Antigo presidente da Media Capital vai ser o próximo CEO da Prisa

Para Juan Luis Cebrián, a sua saída irá garantir um "futuro sólido" à empresa, "à margem de qualquer personalismo".
Antigo presidente da Media Capital vai ser o próximo CEO da Prisa
Cebrián vai continuar na Prisa como presidente do diário espanhol El País
Bloomberg
Lusa 15 de novembro de 2017 às 14:40

O presidente da Prisa, Juan Luis Cebrián, vai ser substituído em Janeiro pelo seu número dois, Manuel Polanco, que foi administrador delegado da portuguesa Media Capital, que pertence ao grupo espanhol.

Cebrián, que se vai manter, a partir de 1 de Janeiro, como presidente do diário espanhol El País, fez este anúncio hoje em Madrid durante a assembleia-geral extraordinária de accionistas em que também foi aprovada formalmente a intenção de vender a Media Capital ao grupo francês Altice.

 

No discurso feito no início da assembleia, o ainda presidente da Prisa referiu que o negócio com a Altice está dependente da aprovação da Autoridade da Concorrência portuguesa.

 

Para Juan Luis Cebrián, a sua saída irá garantir um "futuro sólido" à empresa, "à margem de qualquer personalismo" ao mesmo tempo que se aprova, também hoje, um aumento de capital do grupo cuja dívida é de cerca de 1.500 milhões de euros.

 

Cebrián assegurou que a transição de presidente será feita de uma forma "ordenada" e que "o seu êxito será o êxito de todos".

 

Manuel Polanco, que actualmente é vice-presidente da Prisa e presidente da Prisa Audiovisual, trabalha no grupo há 25 anos, sendo membro do Conselho de Administração desde 2001 e tendo a partir de 2005 sido durante mais de três anos o presidente executivo da Media Capital.

 

A Prisa anunciou em 14 de Julho último a venda à francesa Altice da Media Capital, dona da TVI, por 440 milhões de euros.

 

A realização da operação ainda está dependente da obtenção das autorizações legais da autoridade reguladora portuguesa.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub