Banca & Finanças António Monteiro demite-se do Sabadell

António Monteiro demite-se do Sabadell

O ex-chefe da diplomacia portuguesa explica que tomou essa decisão devido à modificação da relação accionista entre o Sabadell e o Millenium BCP.
António Monteiro demite-se do Sabadell
Lusa 27 de janeiro de 2017 às 09:40
O antigo diplomata e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros português António Monteiro apresentou a sua demissão como membro do conselho de administração do banco espanhol Sabadell, que em finais de 2016 vendeu a participação que tinha no BCP.

Uma informação publicada hoje em Barcelona pelo Sabadell citada pela agência Efe dá conta de que António Monteiro renuncia ao cargo que tinha na entidade bancária espanhola através de uma carta a todos os membros do conselho de administração, que pertencia desde Setembro de 2012, como representante do BCP (Banco Comercial Português).

O ex-chefe da diplomacia portuguesa explica que tomou essa decisão devido à modificação da relação accionista entre o Sabadell e o Millenium BCP.

Em Dezembro do ano passado, a entidade financeira catalã vendeu 4,08 % do capital social que tinha no banco português, praticamente a totalidade das acções, por 44,36 milhões de euros.

Na carta, António Monteiro agradece a colaboração que teve durante o período em que exerceu funções e deseja os melhores sucessos aos membros do conselho de administração do Sabadell.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
J. SILVA 27.01.2017

Este incompetente e homem de mão dos Angolanos deveria era ser corrido do BCP. É presidente do banco à vários anos, não sabe bem o que anda lá a fazer. Anda a sacar o dele e a fazer recados. DE banca deve ser uma nulidade, penso que agora não passaria ao crivo do BCE. Triste sina a dos acionistas

pub
pub
pub
pub