Tecnologias APDC: "Haverá destruição maciça de postos de trabalho" com transformação digital

APDC: "Haverá destruição maciça de postos de trabalho" com transformação digital

Rogério Carapuça, presidente da APDC, alertou que a transformação digital levará à destruição de postos de trabalho. Porém, relembra que também criará empregos “mais qualificados”.
APDC: "Haverá destruição maciça de postos de trabalho" com transformação digital
Pedro Elias
Sara Ribeiro 27 de setembro de 2017 às 11:23

O presidente da APDC, Rogério Carapuça, relembrou que a transformação digital está a "acelerar" a um forte ritmo e que levará ao desaparecimento de vários postos de trabalho.

 

"Haverá uma destruição maciça dos postos de trabalho. É bom que tenhamos noção disso", alertou esta quarta-feira, 27 de Setembro, durante a abertura do 27º congresso da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), que está a decorrer até quinta-feira no Centro Cultural de Belém e reúne empresas que representam 10% do PIB nacional.

 

No entanto, Rogério Carapuça sublinhou que ao mesmo também serão criados novos postos "em áreas mais qualificadas". "A transformação digital é uma revolução como outras que aconteceram na história da humanidade", apontou.

 

Para exemplificar a importância e "urgência" da aceleração da transformação digital, o presidente da APDC referiu que a economia portuguesa vale ¼ do valor da Apple e a espanhola vale uma Apple. Já os EUA valem "apenas" 24 vezes a marca da dona do iPhone.

 

Tendo em conta estes números, Rogério Carapuça voltou a sublinhar que "é urgente transitar para o digital", um passo que deve começar logo nas escolas primárias, através da formação das novas gerações, mas também através da "inclusão de todos os cidadãos".




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
rf Há 3 semanas

Apesar de se criarem trabalhos mais qualificados a QUANTIDADE será sempre MENOR que os trabalhos que desaparecem. A agravar a população mundial está a aumentar, havendo mais gente sem trabalho , sem poder descontar e a precisar de apoios. Necessário controlar a quantidade de população educando.

pertinaz Há 3 semanas

NA FUNÇÃO PÚBLICA TRANSFORMAÇÃO DIGITAL = AUMENTO DA DESPESA

Para o anónimo mais votado Há 3 semanas

Tem toda a razão naquilo que diz. Só que esquece-se de um pormenor: É que a substituição dos seres humanos na sua totalidade não é repentina mas sim gradual e a concentração de riqueza prossegue. Os impostos vão continuar a ser pagos por quem trabalha, até que só uma pessoa paga por todos.

Camponio da beira Há 3 semanas

Aquando da introdução dos computadores na função publica, dizia-se que assim cada 1 fazia o trabalho de 5. E o que aconteceu foi que em vez de irem reduzindo, agora estão lá mais cinco a fazer o trabalho de 1.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub