Transportes APDL investe 4,8 ME em dragagens nos portos de Leixões e Viana

APDL investe 4,8 ME em dragagens nos portos de Leixões e Viana

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) vai investir 4,8 milhões de euros em operações de dragagem para garantir o canal de navegação dos dois últimos portos, disse hoje à Lusa fonte daquela entidade.
APDL investe 4,8 ME em dragagens nos portos de Leixões e Viana
Paulo Duarte/Negócios
Lusa 19 de setembro de 2017 às 18:44
Em resposta escrita, hoje, a um pedido de esclarecimento enviada pela Lusa, fonte da APDL adiantou que serão retirados mais de 1.300 metros cúbicos de inertes do canal de navegação dos portos de Leixões e Viana do Castelo

"Do valor total estimado para o preço base, mais de 2,2 milhões de euros dizem respeito ao porto de Leixões e 2,6 milhões de euros ao porto de Viana do Castelo", explicou aquela fonte a propósito da abertura do concurso público da empreitada.

O anúncio do lançamento daquele procedimento, publicado na segunda-feira em Diário da República, "tem um preço base de 4,8 milhões de euros e um prazo máximo execução de 36 meses".

A APDL revelou que "as quantidades previstas para o concurso agora lançado são de 663.000 metros cúbicos no porto de Leixões e 735.800 metros cúbicos no porto de Viana do Castelo".

"São quantidades estimadas com base nas médias dos volumes dragados nos últimos anos. As quantidades a dragar estão fortemente dependentes das condições meteorológicas e de agitação marítima que se verificarem durante a duração do contrato", referiu.

Na nota enviada à Lusa, a APDL adiantou que "em caso de forte agitação marítima com ondulação, existe um transporte sedimentar elevado ao longo do litoral com a deposição de areias".

"É o caso, junto ao quebra-mar de Leixões onde, por percolação da estrutura, se irão depositar na bacia do Posto "A" do Terminal Petroleiro. Trata-se da zona onde o esforço de dragagem é maior", sublinhou.

Adiantou que "devido a períodos de chuva alongados, a corrente do rio Leça aumenta fortemente depositando na doca n.º4 (a sua foz) grande quantidade de sedimentos (lodos muito finos) ".

"Se as condições se mantiverem boas, ou seja, com fraca agitação marítima e pouca pluviosidade as necessidades de dragagem serão substancialmente menores, o que se traduzirá num menor número de intervenções", referiu.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub