Tecnologias Apple paga 31 mil milhões para repatriar para os EUA ganhos obtidos no estrangeiro

Apple paga 31 mil milhões para repatriar para os EUA ganhos obtidos no estrangeiro

A tecnológica liderada por Tim Cook anunciou que vai arcar com um gasto de 31 mil milhões de euros para repatriar os lucros conseguidos fora dos EUA. A ideia é aproveitar o corte de IRC da reforma fiscal de Trump. E já anunciou que vai criar empregos em território norte-americano e abrir um segundo campus no país.
Apple paga 31 mil milhões para repatriar para os EUA ganhos obtidos no estrangeiro
Reuters
Carla Pedro 17 de janeiro de 2018 às 23:10

A tecnológica da maçã anunciou esta quarta-feira, 17 de Janeiro, que vai pagar cerca de 38 mil milhões de dólares (em torno de 31 mil milhões de euros) em impostos nos EUA para repatriar os lucros obtidos fora do seu país de origem.

 

A empresa liderada por Tim Cook tem conseguido poupanças substanciais fora do território norte-americano. Segundo os valores avançados pela Reuters, a Apple conta com 252,3 mil milhões de dólares (perto de 206 mil milhões de euros) em dinheiro embolsado fora dos EUA.

 

Agora, a reforma fiscal da Administração Trump aprovada em Dezembro do ano passado permite que as empresas repatriem boa parte desses ganhos, mediante o pagamento de um imposto único sobre os lucros obtidos fora dos EUA. E a Apple vai aproveitar.

 

A empresa co-fundada por Steve Jobs pôs de lado 36,3 mil milhões de dólares em antecipação de pagamentos de impostos sobre o dinheiro obtido no estrangeiro. Assim, o valor provisionado significa que o restante montante com que vai ter de arcar não terá grande impacto no seu cash flow do actual trimestre.

 

A Apple aproveitou também para anunciar que pretende investir e contratar nos Estados Unidos, tendo previsto criar 20.000 empregos através de contratações para o seu actual campus e para um novo. Sim, um novo, também nos EUA.

 

Um segundo campus é, pois, uma das grandes apostas da tecnológica, que deseja também investir em novos centros de dados e em fornecedores adicionais. A localização do segundo campus será anunciada em finais deste ano, referiu a empresa, citada pela Bloomberg, salientando que será muito semelhante ao que já existe em Austin (Texas) e que se destinará aos funcionários da área da assistência técnica e da cadeia de fornecimento.

 

Recorde-se que a Apple inaugurou a sua nova sede em Cupertino (Califórnia) em Abril do ano passado, quando ainda faltava terminar algumas obras. Este Apple Park – o nome que recebeu – tem a forma de uma nave espacial. Ou será a de um donut? De um anel? Também pode ser uma versão gigante do botão do iPhone. Tudo se adequa. Com uma obra cujo valor rondou os cinco mil milhões de dólares, tornou-se então a sede empresarial mais cara do mundo. Toda envidraçada e com muitos alperces, tal como Steve Jobs sonhou.




pub