Tecnologias Apple pode estar perto de comprar Shazam

Apple pode estar perto de comprar Shazam

O negócio, que pode atingir os 400 milhões de dólares, foi avançado pelo TechCrunch. Nem a Apple nem a dona da aplicação de reconhecimento de músicas confirmaram a possibilidade de um acordo.
Apple pode estar perto de comprar Shazam
Bloomberg
Negócios 10 de dezembro de 2017 às 23:04
A tecnológica norte-americana Apple poderá estar a preparar a compra da aplicação Shazam, a plataforma de identificação de músicas, séries, filmes ou publicidade.

A possibilidade é avançada pelo site TechCrunch, que cita fontes próximas do processo. Segundo aquele meio, o negócio poderá ser anunciado esta segunda-feira, 11 de Dezembro.

A aplicação em causa permite, através da captação de um fragmento de som, identificar a música que está a ser reproduzida, apresentando o títulos e outros pormenores, como o nome do autor, além de permitir tocar um trecho da música e adquiri-la.

O valor da transacção não está ainda estabilizado, mas deverá ficar abaixo dos mil milhões de dólares em que a empresa foi avaliada em 2015, apontando-se para um valor próximo dos 400 milhões (340 milhões de euros à cotação actual).

Há mais de um ano a Shazam - que começou por ser, em 1999, um serviço acessível através de mensagem SMS, chamado 2580 no Reino Unido - estimava ter superado mil milhões de downloads.

Nem a Apple nem a Shazam quiseram comentar a informação que dá conta do negócio entre as duas empresas, segundo o TechCrunch.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.