Tecnologias Apple recua na aposta automóvel

Apple recua na aposta automóvel

A empresa de Tim Cook decidiu colocar um travão nos projectos que pretendiam desenvolver um automóvel de condução autónoma. Na origem estão dificuldades de acesso a fornecedores e conflitos entre a direcção do projecto.
Apple recua na aposta automóvel
reuters, bloomberg
Negócios 19 de Outubro de 2016 às 13:01

A mudança de planos da Apple no projecto internamente apelidado Titan passa pelo cancelamento do projecto de construção do seu próprio modelo automóvel, de acordo com fonte próxima da Bloomberg.

 

A empresa tecnológica pretende agora focar-se exclusivamente no desenvolvimento de "software" para veículos autónomos. A equipa tem até ao final de 2017 para provar à administração de Tim Cook a viabilidade deste projecto.

 

Nos últimos meses, a equipa do projecto Titan foi sendo reduzida. Os trabalhadores abandonaram a equipa pelo redireccionamento dos planos, por incerteza relativamente aos seus postos de trabalho ou mesmo por cepticismo relativamente à possibilidade de um automóvel da Apple conseguir efectivamente chegar ao mercado.

 

A Bloomberg descreve que mais de 120 engenheiros de software saíram do projecto, bem como várias centenas de engenheiros.

 

Os restantes engenheiros de software encontram-se a trabalhar em programas autónomos, sensores de visão, e simuladores para testes em ambientes próximos do mundo real, refere a Bloomberg. Na equipa constam ainda especialistas a trabalhar na regulação da indústria automóvel.

 

Um dos maiores desafios impostos à Apple está relacionado com o acesso a agentes a montante na cadeia de produção. A empresa de Tim Cook não consegue contractos de exclusividade com os fornecedores de componentes como o faz na produção de aparelhos electrónicos. Os fornecedores de componentes automóveis têm-se mostrado pouco abertos a fornecer exclusivamente a Apple, uma vez que tal pressupõe a venda de componentes em pequenas quantidades numa fase inicial.

 

A empresa fica assim disponível para colaborar com fabricantes automóveis já existentes no mercado (como chegou a ser anunciado) ou para desenvolver o seu próprio veículo no futuro, avança a mesma fonte.

 

O Projeto Titan iniciou-se em 2014, concretizando as ambições da Apple de chegar à indústria automóvel. Com o objectivo de produzir um veículo até ao início de 2020, a empresa de Cook deu início a contratações em massa.

 

O projecto sofreu um abalo no final de 2015, na sequência de várias discussões pela direcção dos planos. "Foi uma falha de liderança incrível", avança fonte próxima à Bloomberg. No início de 2016, o Titan perdeu o seu líder, Steve Zadesky, antigo engenheiro da Ford e designer do iPod.

 

Zadesky entregou o projecto ao seu chefe, Dan Riccio, que se manteve no controlo até Abril; altura em que o seu lugar foi tomado por Bob Mansfield. O novo líder da equipa anunciou cerca de um mês mais tarde uma mudança no plano Titan. Após ter examinado o projecto, Mansfield pretendia alterar o objectivo de construir um modelo para fazer frente à Tesla; prevendo assim o desenvolvimento de uma plataforma de condução autónoma.

 

Além da Apple, também a Alphabet tem vindo a atravessar dificuldades no seu projecto automóvel autónomo. A empresa da Google enfrentou a perda de trabalhadores, o cepticismo dos investidores tecnológicos e tem-se vindo a habituar às magras margens de lucro da indústria automóvel, onde os produtores conseguem margens abaixo dos 10%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub