Telecomunicações Armando Pereira: Governo português "não vê a importância" do investimento da Altice

Armando Pereira: Governo português "não vê a importância" do investimento da Altice

O co-fundador da Altice Armando Pereira afirmou esta quinta-feira, em Vieira do Minho, que o Governo português "muitas vezes não vê a importância" do investimento daquele grupo francês em Portugal.
Armando Pereira: Governo português "não vê a importância" do investimento da Altice
Bruno Simão
Lusa 20 de julho de 2017 às 13:26
À margem da inauguração do segundo 'call center' (centro de contacto) da Altice em Vieira do Minho, Armando Pereira garantiu que o investimento em Portugal vai continuar, mesmo que por vezes pareça que "não gostam" do grupo que comprou a PT Portugal.

"A Altice investe em Portugal de uma maneira muito importante. Na semana passada aconteceu uma coisa importante aqui em Portugal, mas penso que, muitas vezes, o Governo português não vê essa importância", criticou.

Em 14 de Julho, o grupo Altice anunciou que chegou a acordo com a Prisa para a compra, por 440 milhões de euros, da Media Capital SGPS, SA, que detém a TVI.

Alguns partidos já pediram ao Governo português para travar o negócio.

Armando Pereira disse não entender esta oposição ao negócio, mas garantiu que o grupo Altice vai continuar a investir em Portugal.

"Mesmo se às vezes nos dizem 'para que vêm para aqui, eles não nos querem, penso que não gostam de nós', vamos continuar", assegurou.

Natural de Guilhofrei, Vieira do Minho, Armando Pereira vincou que vai continuar a investir na sua terra e no seu país.

"Nós não fazemos política, nós somos industriais", lembrou.

O segundo 'call center' da Altice, agora inaugurado, deverá criar cerca de 300 postos de trabalho, tendo hoje arrancado com meia centena.

No primeiro, que abriu em maio de 2015, já trabalham 110 pessoas.

A Altice já tem 12 'call centers' em Portugal.



A sua opinião23
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 13 horas

Amigo Negócios, diga lá se a Austrália é ou não é Primeiríssimo Mundo. Porque é que se vive tão melhor por lá? Porque o excedentarismo tem muito pouca margem de progressão. O oposto de Portugal e da Grécia. "Telstra Corporation Ltd , Australia's largest telecoms company, will lay off 1,400 workers in a fresh round of job cuts, eager to rein in costs ahead of a new government-owned broadband network and as competition squeezes mobile margins." www.businesstimes.com.sg/technology/telstra-to-shed-1400-in-latest-round-of-job-cuts-as-competition-bites

comentários mais recentes
Anónimo Há 7 horas

Vai utilizar estes métodos do séc. XIX em França. Eles metem-tfé na linha. Aqui são cornos mansos.

Pierre Ghost Há 9 horas

...engraçado....estas noticias nao vem a xuxalhada comentar...
Porque será ???

Pierre Ghost Há 10 horas

Esta xuxalhada nao esta preocupada com os despedimentos !!!
Esta sim preocupada em ficar sem o controlo da TVI !!!
Vermes xuxas bancarroteiros !!

Anónimo Há 10 horas

Falta dar emprego aos funcionários da política

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub