Empresas As frases emblemáticas de Belmiro de Azevedo  

As frases emblemáticas de Belmiro de Azevedo  

No dia da morte do empresário de 79 anos, o Negócios recolheu as frases mais emblemáticas do "Homem Sonae".
Miguel Baltazar - Fotografia ,Paulo Duarte - fotografia,Pedro Elias - Fotografia e Pedro Aperta - Fotografia
Negócios 29 de novembro de 2017 às 19:07

"A pessoa que mais me influenciou, em termos de rigor e da importância a dar à educação, foi o meu professor primário. Para ele, quem tivesse um erro no ditado não passava." ("O Homem Sonae", de Filipe S. Fernandes, 2008)

 

"Sou obsessivo quanto ao conhecimento. Há uma coisa que recomendo a todos os estudantes, sobretudo de matemática: nunca passar à frente sem ter percebido tudo". (Expresso, 1999)

 

"Não sou rico. Tenho fama de rico, comportamento de pobre. Estou bem assim." (Visão, Janeiro de 2010) 

 

"Vivo do meu salário, não preciso de mais do que isso." (Diário Económico, 2005)

 

"A posse de dinheiro cria a obrigação de o investir bem, de criar emprego. Eu sinto-me um feitor, um curador desse dinheiro." (Expresso, 1999)

 

"Compro os sapatos há 30 anos no mesmo sítio, pelo telefone, e cinco ou seis pares de cada vez para não perder muito tempo." (Expresso, 1999)

 

"A minha vida é uma história contra o desperdício." (Biografia "Belmiro - História de uma vida", 2001)

 

"Fui sempre ousado e excessivamente confiante. Nunca saí do país". (Público, 2013)

 

"Se não for a mão-de-obra barata, não há emprego para ninguém." (Clube dos Pensadores, 2014)

 

"Os salários só podem aumentar quando um trabalhador português fizer igual a um alemão ou inglês". (TSF, 2014)

 

"Defendo aumentos para os competentes. Sejam trabalhadores, ministros ou guarda-redes de futebol". (Visão, Janeiro de 2010) 

 

"Embora haja a ideia de que eu sou um durão a despedir pessoas, na verdade despedi muito poucas pessoas na minha vida". (Público, 2013)

 

"A função natural de um líder é criar líderes que, pela lei da vida, devem ser potencialmente melhores." (Negócios, 2009)

 

"Os verdadeiros líderes são-no naturalmente. Não são impostos, são seguidos com facilidade pelo que os rodeiam. Têm um espírito de missão, uma visão." (Livro 50 Anos – Sonae)

 

"Pior é sempre não decidir ou decidir a desoras". (Discurso 50 anos da Sonae)

 

"A gestão é uma arte simples que se reduz em bom senso, mais boa formação, mais informação." ("Belmiro - História de uma vida", 2001)

 

"Premiar o sucesso é fácil, mas não menos importante é premiar um fracasso inteligente, um sucesso relativo." ("Belmiro - História de uma vida", 2001)

 

"Não sou um ser 100% racional e pragmático - se o fosse, nunca teria ousado contrariar o ‘mainstream’ do pensamento." (Discurso 50 anos da Sonae)

 

"A Sonae é incorruptível. Isso é claro para quem queira negociar connosco". (Visão, Janeiro de 2010) 

 

"A sucessão da Sonae foi a mais bem planeada que houve em Portugal". (Público, 2013)

 

"A única coisa que salva uma empresa é ter um plano de sucessões bem preparado". (Público, 2013)

 

"A Sonae é uma espécie de escola prática de negócios. Orgulho-me de ser o professor de muitos alunos dessa escola." (Visão, 1999)

 

"Há uma questão de natureza pessoal que me impede de ir para a política. É que eu gosto de decidir depressa e poderia ter problemas de excesso de velocidade". (Expresso, 1999)

 

"O grande problema é a educação. Somos marcados por algum seguidismo (…) o povo vota pelas festas, frigoríficos e passeios. É muito mau". (Visão, Janeiro de 2010) 

 

"Enquanto o povo não for mais crítico, existe o risco de caciquismo, não é?" (Visão, Janeiro de 2010) 

 

"Não tinha tempo para andar por aí aos tiros aos políticos, muito menos ao Salazar, que não me incomodava". (Visão, Janeiro de 2010) 

 

"Não sendo competitivos, somos dependentes. Ficamos uma aldeia". (Visão, Janeiro de 2010) 

 

"O Marcelo é pluri-pluri. Tem dez respostas, todas boas, para a mesma pergunta. Não sofre de pensamento único". (Visão, Janeiro de 2010)  

 

"É muito importante que a pessoa se mantenha activa, até cair e morrer, nesse dia". (Visão, Janeiro de 2010)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
O anónimo do Observador Há 1 semana

Sou tão COMUNA como Belmiro era ! Não costumo fazer compras nessas empresas DOS GÉNIOS , NEM ME VERGO PERANTE a bajulice ! Vou á minha horta e "compro" os produtos alimentícios para meu consumo! O que ganho sai do meu corpo, não foi preciso enganar Pinto de Magalhães para meu proveito.

Johnny Há 1 semana

Os milhares de donos de mini mercados e mercearias que este animal atirou para a servidão e desemprego talvez não o achem assim um tão grande homem...

Anónimo Há 1 semana

Ó OBSERVADOR.....BEBE ÁGUA PÁ!!!
COMUNA!
ESTE GRANDE HOMEM COM TODOS OS DEFEITOS DE TERIA, COMO TODOS NÓS TEMOS, CRIOU RIQUEZA...CRIOU VALORES.....E PENSA BEM: SÃO DEZENAS DE MILHARES DE TRABALHADORES E SUAS FAMILIAS QUE ESTE GRANDE HOMEM EMPREGA!
RIP

Observador Há 1 semana

o QUE ACONTECEU A MUITOS , AGORA CHEGOU A VÊZ DELE ! Lamento tanto como algum jardineiro MORRESSE , exactamente a mesma coisa .... Não sou hipócrita ! Quando a minha vêz chegar tambem não preciso DA BAJULICE dos MAIORES actores da POLITICA EMPRESARIAL da sacanagem aos bolsos dos colaboradores

Saber mais e Alertas
pub