Automóvel As sete condições que a Autoeuropa vai impor a partir de Janeiro

As sete condições que a Autoeuropa vai impor a partir de Janeiro

A fábrica portuguesa da Volkswagen vai avançar com o trabalho ao sábado a partir do final de Janeiro. Estas são as sete condições que o fabricante alemão vai impor.
As sete condições que a Autoeuropa vai impor a partir de Janeiro
Pedro Elias
André Cabrita-Mendes 12 de dezembro de 2017 às 10:43
A Autoeuropa comunicou aos seus 5.500 trabalhadores os novos horários para 2018 que incluem o trabalho ao sábado, com este dia a ser pago a dobrar. Com esta decisão, a fábrica de Palmela quer atingir a meta de produção de 240 mil automóveis no próximo ano.

Após dois pré-acordos chumbados pelos trabalhadores, a administração da fábrica portuguesa da Volkswagen tomou a decisão unilateral de avançar para o trabalho ao fim-de-semana sem um acordo laboral.

A administração já tinha sinalizado na passada semana que pretendia avançar para o trabalho aos fins-de-semana sem um acordo laboral e anunciou os novos horários e condições esta terça-feira, 12 de Dezembro.

Estas são as sete condições laborais da Autoeuropa para 2018:

1 - A Autoeuropa vai passar a produzir um total de 17 turnos semanais, três turnos diários de segunda a sexta-feira (manhã, tarde e noite), mais dois turnos ao sábado (manhã e tarde).

2 - Cada trabalhador produz um total de cinco dias, com o domingo a ser dia de folga fixa. Já a folga rotativa vai ser atribuída de "acordo com o calendário individual" de cada trabalhador.

3 - A cada dois meses os trabalhadores têm direito a quatro fins de semana completos de descanso e mais um período de dois dias consecutivos de folga.

4 - O dia de trabalho ao sábado vai ter um prémio adicional de 100%, com o pagamento a ser efectuado no final de cada mês.

5 - Mas vai existir um prémio adicional de 25% sobre os sábados trabalhados desde que sejam atingidas as metas de produção trimestrais. O pagamento deste prémio vai ser trimestral.

6 - Se o trabalhador produzir durante o dia de folga, este dia vai ser pago como o equivalente ao pagamento ao sábado.

7 - As horas semanais por trabalhador vão diminuir para um total de 38 horas.



A sua opinião30
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado 5640533 12.12.2017

E ainda se queixam? Que vão trabalhar para a restauração. Há hora de entrada, não há hora de saída nem pagamentos extra.

comentários mais recentes
Anónimo 12.12.2017

"Em 4,5 anos a trabalhar ali o meu salário aumentou 15 eur. Um operador trazia 800 eur para casa, um engº cerca de 1100.Depois criaram 1 empresa trabalho externo (autovision) p/ reduzirem ainda mais os custos"...e entretanto a VW enganou o mundo inteiro e só tem lucro! Nao há qq coisa aqui estranha?

Anónimo 12.12.2017

NÃO SE METAM NO QUE NÃO SABEM ! SOIS UNS TRISTES ,QUEREM MANDAR NOS OUTROS ! MANDEM NAS VOSSAS CASAS( SE É QUE MANDAM) E DEIXEM DE COMENTAR SE SÃO COMUNISTAS OU FACISTAS OU XUXAS eles são os mais interessados da situação da AUTO-EIROPA. IMBECIS ...

O PCP é politica da terra queimada! 12.12.2017

Se o linguarudo Arménio Carlos meter as p.a.t.a.s na Autoeuropa é o fim da fábrica em Portugal. Vai para os países de leste com mão de obra mais qualificada e mais barata. Desejosos da fábrica andam eles. Depois os nossos 5500 empregados vão bater à porta do Jerónimo, e vão à apanha do berbigão!

A comunada destrói tudo, só fica a miséria! 12.12.2017

Última notícia os trabalhadores não aceitam a proposta da gerência. Se a fábrica se deslocalizar os trabalhadores têm todo o tempo para a família e tb têm tempo para a apanha do berbigão na ponta dos corvos! Vai ser só miséria e fome. Foi a Quimigal, Lisnave, Siderurgia e Opel da Azambuja etc.

ver mais comentários
pub