Empresas Associação ajuda projectos do nascimento à última prestação

Associação ajuda projectos do nascimento à última prestação

A Associação Nacional de Direito ao Crédito (ANDC) foi criada em 1998 e é responsável pelo lançamento do microcrédito em Portugal, acompanhando os empreendedores desde o desenvolvimento do projecto até ao pagamento da última prestação. O suporte dos técnicos é fundamental para que seja apresentado um projecto viável e que garanta a provação dos bancos parceiros da ANDC.
Raquel Godinho 28 de janeiro de 2014 às 00:27

Se está desempregado ou tem um emprego precário, tem uma ideia de negócio mas não sabe como financiá-la, o microcrédito pode ser uma opção a considerar. E a ANDC pode ser o apoio de que precisa. Os passos a seguir são simples. O primeiro é contactar a associação com uma ideia de negócio sustentada e que tenha viabilidade. O técnico da ANDC vai depois acompanhar o projecto, garantindo que apresenta as características necessárias para obter o financiamento junto da banca. Essencial é, contudo, que tenha um fiador para 20% do total do empréstimo.

A associação tem parcerias com bancos nacionais, o que lhe permite depois ajudar os empresários a encaminhar o projecto. A ANDC tem, actualmente, acordos com a Caixa Geral de Depósitos (CGD), Banco Espírito Santo (BES), Millennium bcp, Caixa de Crédito Agrícola do Noroeste e Caixa de Crédito Agrícola do Douro e Vale do Távora. Em fase final está ainda o acordo com o Montepio.

Depois de aprovado o financiamento por parte do banco, o técnico da ANDC vai acompanhando o desenvolvimento do projecto, para garantir que a gestão do negócio é feita de forma adequada, o que acabará por garantir que o reembolso do crédito é pago atempadamente. Actualmente, o montante mínimo de financiamento é de mil euros. Já o mais elevado é de15 mil euros, sendo atribuídos 12.500 euros no início do primeiro ano e o valor restante no início do segundo ano.

No que se refere aos prazos do crédito, variam entre os 48 e os 60 meses. Desde Outubro que a ANDC também utiliza o modelo do Programa Nacional de Microcrédito, promovido pelo IEFP, que utiliza a linha de crédito Microinvest, financiando projectos até 20 mil euros.

Paralelamente, "as pessoas que recorrem ao microcrédito têm condições muito favoráveis, nomeadamente por causa dos protocolos que temos com os bancos, que, em média, estabelecem ‘spreads’ inferiores a 5%, chegando em alguns casos a 2% ou 3%", explicou Luís Meneses, presidente da ANDC, recentemente ao Negócios.

Em 15 anos, a associação já ajudou a financiar 1.700 projectos que, no total, foram responsáveis pela criação de mais de 2.500 postos de trabalho. Desde que foi criada, a associação já foi contactada por mais de 10 mil pessoas, mas nem todas avançaram com o projecto.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub