Transportes Associação Comercial do Porto: novas linhas de metro valorizam cidade

Associação Comercial do Porto: novas linhas de metro valorizam cidade

A entidade diz que o investimento em dois eixos, anunciado esta semana, vai ao encontro das necessidades com o aumento do turismo.
Associação Comercial do Porto: novas linhas de metro valorizam cidade
Paulo Duarte
Alexandra Noronha 08 de fevereiro de 2017 às 13:29

A Associação Comercial do Porto (ACP) saudou o investimento anunciado para o metro do Porto, com uma nova linha, a Rosa e o prolongamento da Amarela.


"Pela primeira vez, a maior fatia de investimentos – mais de 280 milhões de euros dos 500 disponíveis para redes de metropolitano em Portugal - é destinada à Área Metropolitana do Porto, correspondendo aliás a uma reivindicação desde há anos apresentada pela Associação Comercial", salientou a entidade.


A ACP referiu ainda que "esta decisão decorre do forte consenso e do espírito metropolitano evidenciado pelos autarcas da região".


Além disso, a entidade salientou que "as novas linhas do Metro, em particular no Porto e dado o empenho do Município, vêm ao encontro do forte crescimento turístico que a cidade regista, valorizando-a e tornando-a ainda mais sustentável e competitiva em termos de atracção de visitantes".

A linha Rosa e o prolongamento da Amarela estão deverão custar num total de 287 milhões de euros. O novo percurso entre São Bento e a Casa da Música irá custar 181 milhões de euros e implica a construção de quatro estações subterrâneas.

O alargamento da linha Amarela até Vila d’Este está avaliado em 106 milhões, com três novas estações, sendo que apenas uma será subterrânea.

A construção deverá iniciar-se em 2018 e estar concluída em 2021. O Governo vai avançar também com estudos para mais três linhas




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub