Transportes Aumentos de 2% nos transportes vão ser fiscalizados pelo regulador

Aumentos de 2% nos transportes vão ser fiscalizados pelo regulador

A AMT admite que possa haver benefícios que compensam o aumento dos transportes em 2% no próximo ano. Mas vai estar atenta.
A carregar o vídeo ...
Alexandra Machado Rosário Lira 09 de dezembro de 2017 às 21:00
O parecer da Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) sobre os tarifários para 2018 não é vinculativo e João Carvalho, o seu presidente, também não queria que fosse.

No entanto, acredita que os aumentos médios máximos propostos de 2% podem justificar-se se houver contrapartidas.

Diz que o seu parecer ainda está sob sigilo, mas vai dizendo que "se houver mais benefícios aos utilizadores de transportes, não vejo qualquer problema. E fala-se que vai ser alargado aos estudantes, alargado o passe social+ a todo o país, permite que quem tenha passe possa descontar em termos fiscais. Portanto, há aqui um conjunto de benefícios que eventualmente poderá justificar o aumento de 2%".

Tenciona tornar público o parecer quando o Governo o libertar. Mas acredita que "brevemente o parecer estará no site" da AMT.

Admitindo desde já que pode haver benefícios num aumento de 2%, João Carvalho promete, no entanto, fiscalizar a sua aplicação. "É nossa obrigação fiscalizar os benefícios que irão ser dados por contrapartida do aumento".

João Carvalho é o entrevistado da Conversa Capital, que irá para o ar na Antena 1 este domingo, 10 de Dezembro, e será publicado no Negócios domingo (online) e segunda-feira (papel).




Saber mais e Alertas
pub