Automóvel Autoeuropa: PCP considera “natural” que os trabalhadores tomem posição sobre horários

Autoeuropa: PCP considera “natural” que os trabalhadores tomem posição sobre horários

O Partido Comunista emitiu um comunicado onde refere que é “natural que os trabalhadores tomem posição” sobre os horários que a administração quer aplicar e que passam pelo trabalho ao sábado. A Autoeuropa está hoje em greve.
Autoeuropa: PCP considera “natural” que os trabalhadores tomem posição sobre horários
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 30 de agosto de 2017 às 12:30

O Partido Comunista Português (PCP) emitiu um comunicado onde manifesta solidariedade com os trabalhadores da Autoeuropa, que realizam esta quarta-feira, 30 de Agosto, a primeira greve na empresa (excluindo greves gerais).


O partido liderado por Jerónimo Martins (na foto) refere que "os trabalhadores da Autoeuropa sempre defenderam os seus interesses, e em diversos processos de negociação verificados ao longo dos anos, recorreram a tomadas de posição e formas de luta que travaram ou fizeram recuar medidas que sentiam atingir os seus direitos".

Os trabalhadores da Autoeuropa querem que a administração recue na sua intenção de tornar obrigatório o trabalho ao sábado. O dia de trabalho ao sábado, previsto a partir do início de 2018, vai servir para aumentar a produção devido ao novo modelo da fábrica da Volkswagen: o SUV T-Roc.

O PCP defende que "mais uma vez essa intervenção se verifica perante uma proposta de alteração dos horários de trabalho, questão particularmente sensível, uma vez que afecta a possibilidade de os trabalhadores continuarem a ter direito ao fim-de-semana, dificultando a organização da sua vida pessoal e familiar".

"A proposta da administração não garante o sábado como dia de descanso e apenas permite que um trabalhador tenha um fim-de-semana seguido de seis em seis semanas. Na Autoeuropa o trabalho efectuado aos sábados, domingos e feriados foi sempre considerado como trabalho extraordinário e pago como tal. É por isso natural que os trabalhadores tomem posição sobre esta questão e defendam os seus direitos", pode ler-se no comunicado.


A declaração do PCP, emitida a "pedido de vários órgãos de comunicação social sobre a luta dos trabalhadores da Autoeuropa", surge depois de Torres Couto, ex-secretário-geral da UGT, ter defendido, em declarações à TSF, que é "extremamente preocupante e grave" a paralisação da Autoeuropa. E que a convocação da greve se trata de uma guerra política para a CGTP ganhar espaço negocial com o Governo.


"Eu felicito a CGTP e o seu coordenador, o Arménio Carlos, por esta vitória. Mas tenho que lembrar a CGTP que esta vitória poderá ser uma tremenda vitória de Pirro," afirmou Torres Couto aos microfones da TSF. "É uma tentativa da CGTP – e através dela o PCP – ganharem espaço negocial com o Governo, com o PS mas também com o BE (…). A partir da agora o PC tomou as rédeas dessa empresa," afirmou.


António Chora, ligado ao Bloco de Esquerda, foi líder da comissão de trabalhadores (CT) da Autoeuropa durante 20 anos. Ao Negócios, disse que estava "espantado" com a conflito laboral na fábrica da Volkswagen em Portugal.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Leão_da_estrela Há 3 semanas

Não estejam preocupados porque se a VW se chatear e levar a fábrica daqui para fora, o sindicato sustenta os 3.500 trabalhadores até arranjarem emprego similar em ordenado e condições. Se não querem trabalhar dêm o lugar a outros. Esquecem-se que querem o fim-de-semana para ir aos centros comerciais e aos supers onde estão pessoas a trabalhar porque precisam de ganhar a vida.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

Meus senhores, o líder do PCP chama-se Jerónimo de Sousa! Jerónimo Martins é um grupo empresarial e que este senhor muito critica. Não batizem o Jerónimo ou correm o risco de ter que lhe dar o folar na Páscoa!

Tentando Perceber Há 2 semanas

Culpa do PSD/CDS, que não mudam, continuam como quando foi necessário criar a Geringonça, para tirar o País das Mãos de Passos e Cristas, enquanto existia Gente, infelizmente o PSD não se renova e continua a Necessidade de manter a Geringonça colmatando a falta do PSD.

Doutor da mula ruça Há 3 semanas

Ui, se o PCP começa a "tomar conta" dos trabalhadores da Autoeuropa, bem que eles podem começar a procurar outros empregos...como se houvessem muitos! Foi preciso o Sr. Chora sair para dar nisto? Cuidado com as brincadeiras! O PCP não cria empregos! Aliás...é mais gestão de patrimonio imobiliario!

Anónimo Há 3 semanas

eheheh o pcp que nacionalize a autoeuropa !!!cambada de lunaticos ...

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub