Automóvel Autoeuropa vai estar parada por falta de peças para os T-Roc

Autoeuropa vai estar parada por falta de peças para os T-Roc

A fábrica da Vokswagen em Palmela estará parada esta sexta-feira, 15 de Dezembro, devido à falta de peças para os veículos T-Roc.
Autoeuropa vai estar parada por falta de peças para os T-Roc
Volkswagen

Esta sexta-feira, a Autoeuropa estará parada, confirmou ao Negócios fonte da empresa, sem adiantar motivos.

 

Dois trabalhadores da fábrica de Palmela avançaram que a razão se prende com a falta de peças para os T-Roc por parte dos fornecedores, pelo que a produção destes veículos estará assim parada amanhã.

 

"Os fornecedores escolhidos foram os mais baratos. Nós, trabalhadores, alertámos que seria problemático. A Administração assim não o entendeu. Aqui está o resultado: o que é barato sai caro", sublinhou um dos trabalhadores.

Por seu lado, a fonte da empresa disse que a Volkswagen está a lançar muitos novos modelos, o que provocou esta quebra no stock dos fornecedores.

A fábrica regressa à produção na segunda-feira, pois o stock de peças vai ser entretanto reposto.

 

A Autoeuropa estima produzir mais de 200.000 veículos Volkswagen T-Roc em 2018, quase triplicando a produção de 2016, o que levou a empresa a contratar cerca de 2.000 novos trabalhadores e a decidir a abertura de um sexto dia de produção aos sábados.

 

O pré-acordo assinado no passado dia 20 de Novembro – que foi rejeitado pelos trabalhadores mas que seguirá em frente por decisão da administração da fábrica de Palmela - estabelece os termos do trabalho ao sábado e da laboração contínua (três turnos diários), que deverá ter início depois das férias de Agosto de 2018, questões que estiveram na origem da primeira greve na empresa por razões laborais e que provocaram a demissão da anterior Comissão de Trabalhadores, após a rejeição de outro pré-acordo.

 

A produção automóvel em Portugal disparou com o novo modelo da Autoeuropa. O arranque em força do T-Roc catapultou a produção nacional em 70,9% em Novembro face ao mês homólogo.


Em Novembro foram produzidos 22.967 veículos ligeiros e pesados no país, segundo os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP) divulgados esta quinta-feira, 14 de Dezembro.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 dias

Ó Pinochet. Deixe que os comunas tomem conta cá da traquitana e os seus desejos serão realidade. Não há ricos nem patrões. Só sindicatos, direitos adquiridos, grandes ordenados e total liberdade para gastar as senhas de racionamento na loja do povo indicada pelo boiardo da zona, ou morrer de fome.

Anónimo Há 2 dias

Os comunistas com Arménio Carlos á cabeça acabaram por dar cabo do stock de material ! Não se pode trabalhar tanto Arménio... ainda diziam que não queriam trabalhar , a DIREITALHA ficou de boca aberta ?Fechem-na pode entrar moscas

Augusto José Ramón PINOCHET Ugarte Há 2 dias

[SARCASMO] Quem não é de direita-radical, não merece respirar. Empresários devem ganhar prémios pelos salários cortados. Só o pobre é que deve pagar impostos. IRC=0%. Fim do Estado-Social. Sindicatos e greves proibidas. Fim dos direitos laborais. Privatizar tudo. Viva o Neoliberalismo.[/SARCASMO]

fpublico condenado a 48 anos trabalho/descontos Há 2 dias

OS TUGAS E AS MADAMES TUGAS O QUE QUEREM É MANETE NA MAO DE BMW E MERCEDES

FECHEM O RAIO DA FABRICA DE SUV_S DO POVO DOS BAIRROS SOCIAIS

ver mais comentários
pub