Automóvel Automóveis diesel geram mais emissões que camiões e autocarros

Automóveis diesel geram mais emissões que camiões e autocarros

Cientistas do ICCT utilizaram dados na Alemanha e Finlândia que mostram que os automóveis geram entre 480 e 560 miligramas de emissões/quilómetro, enquanto os camiões e autocarros só emitem 210 mg/km.
Automóveis diesel geram mais emissões que camiões e autocarros
Lusa 06 de janeiro de 2017 às 15:26
Os automóveis a diesel geram mais emissões tóxicas de óxido de nitrogénio do que os camiões e autocarros, revela hoje um estudo do Conselho Internacional para o Transporte Limpo (ICCT).

O ICCT realizou estudos que mostraram discrepâncias entre os valores das emissões registados em testes de laboratório e os que se registavam realmente nas estradas, estudos esses que deram origem ao escândalo de manipulação de dados de emissões por parte do grupo Volkswagen nos Estados Unidos.

Para o novo estudo, os cientistas do ICCT utilizaram dados, tanto da Alemanha como da Finlândia, que mostram que os automóveis a diesel geram entre 480 e 560 miligramas de emissões por quilómetro, enquanto os camiões e autocarros só emitem 210 miligramas por quilómetro.

O ICCT considera que os resultados do estudo mostram mais uma vez a necessidade de complementar os testes de emissões realizados em laboratório com testes de estrada.

Esses testes começarão a ser introduzidos na UE a partir de Setembro para veículos particulares, sendo já obrigatórios para camiões.

O Governo alemão escusou-se a comentar o estudo, mas recordou que desde 2011 se trabalha a nível europeu, por iniciativa alemã, para introduzir medições em condições de estrada e não de laboratório.

A organização não-governamental alemã Deutschen Umwelthilfe (DUH) declarou hoje em comunicado que o estudo confirma outras investigações realizadas na primavera do ano passado.

A DUH recordou que o limite de emissões para autorizar a circulação de automóveis particulares do tipo Euro 6 é de 80 miligramas por quilómetro, pelo que muitos modelos diesel novos não teriam sido autorizados a circular se fossem obrigatórias as medições em estrada.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 3 semanas

Então vão deixar conduzir (trabalhar) os camionistas no regresso a casa, e proibir os ligeiros de andar a passear no fim de semana:Que vão de comboio ou autocarro...

Anónimo Há 3 semanas

Que e que isso importa:da mais trabalho aos hospitais,funerarias,coveiros,blomistas,ate os padres fozam.Origina um comercio que nao pode ser evitado.Economia em alta expansao.E mesmo um pais de tolinhos.

pub
pub
pub
pub