Crédito Banca empresta mais dinheiro às famílias em Janeiro

Banca empresta mais dinheiro às famílias em Janeiro

Mais contratos celebrados e mais dinheiro concedido no crédito aos consumidores em Janeiro, revelam os dados do Banco de Portugal.
Banca empresta mais dinheiro às famílias em Janeiro
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 15 de março de 2017 às 15:14

Em Janeiro foram celebrados 123,2 mil contratos de crédito ao consumidor, mais 18,2% do que no mesmo mês do ano passado, revelou o Banco de Portugal esta quarta-feira, 15 de Março. Já quando analisados os dados de Dezembro, houve uma quebra de 8,7% dos contratos.

 

O aumento homólogo do número de contratos foi transversal a todos os segmentos, com excepção na locação financeira ou ALD, na aquisição de veículos novos, com este a recuar 10,6% em número de contratos firmados em Janeiro.

 

No que respeita aos montantes de empréstimo, foram concedidos 494,5 milhões de euros para crédito aos consumidores, com o segmento de "outros créditos", que inclui a consolidação de créditos, a representar a maior fatia do total – praticamente 44%.

 

Os números revelam um novo aumento dos montantes concedidos, tendo registado um acréscimo de 26% face a Janeiro de 2016. Já quando comparado com o mês de Dezembro houve uma redução de 12,8%, um comportamento normal, visto que em Dezembro a concessão de crédito pessoal tende a crescer. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 15.03.2017

Os portugueses (alguns) gostam mesmo de parecer aquilo que não são,depois quando forem confrontados com as prestações ao banco ,vão à DECO para reestruturar as respectivas dívidas.Assim vai o país do faz de conta!!

pub
pub
pub
pub