Banca & Finanças Banca europeia ganha 85 mil milhões de euros em bolsa

Banca europeia ganha 85 mil milhões de euros em bolsa

Apesar do “não” no referendo em Itália, o índice europeu da banca avançou mais de 10% desde o início da semana. O BCP aproveitou a boleia para subir 20% em três dias.
Banca europeia ganha 85 mil milhões de euros em bolsa
Rui Barroso 08 de dezembro de 2016 às 20:32
A banca do sul da Europa era apontada como das mais sensíveis a um "não" no referendo em Itália. Mas nas sessões que se seguiram o saldo é positivo para o sector bancário. Os 44 bancos europeus que compõem o índice Stoxx do sector viram o seu valor de mercado crescer 85 mil milhões de euros, à conta de uma subida de 10,26% do índice desde o início da semana.

E, para surpresa de muitos, foram mesmo os bancos italianos a liderar os ganhos. O Unicredit sobe 22,84% em quatro dias, beneficiando da expectativa de que apesar da incerteza política em Itália, isso não implique um adiamento na resolução dos problemas do sector, em especial os do Monte dei Paschi.

Apesar da demissão de Matteo Renzi, a imprensa italiana tem noticiado que poderá estar para breve uma intervenção pública que recapitalize o banco e ajude o sector, sem perdas para os credores e envolvendo o Mecanismo Europeu de Estabilidade.

As acções ganham 16,7% em três dias. "O aspecto positivo é que isso enviaria um sinal positivo sobre a vontade das instituições europeias apoiarem" o sector, refere o Deutsche Bank.

Apesar disso, o banco alemão lança outra possível explicação para as valorizações expressivas da banca italiana. "Parece que o mercado estava com posições a apostar na queda das entidades financeiras e do risco em Itália à medida que se aproximava a votação e como nada de muito significativo ocorreu imediatamente assistimos a um grande fecho dessas posições", o que pressiona os preços em alta.

Também as decisões do BCE desta quinta-feira aparentam ter sido positivas para o sector. O banco central não baixou a taxa de depósito, uma medida que afectaria ainda mais a rentabilidade da banca. Só esta quinta-feira, o índice do sector avançou 2,32%.


BCP acompanha ganhos

As subidas da banca italiana reflectiram-se também noutras entidades financeiras do sul da Europa. Foi o caso do BCP. As acções do banco liderado por Nuno Amado acumulam ganhos de 20% para 1,35 euros nas últimas três sessões, permitindo que em três dias o valor de mercado passasse de novo a fasquia de mil milhões de euros.

Ainda assim, tanto o BCP como os bancos europeus ainda acumulam perdas significativas desde o início do ano. As acções do banco liderado por Nuno Amado descem 63,19%  em 2016.


E o índice Stoxx banca perde 4,67%. Bancos italianos como o Popolare e o UBI banca e o espanhol Popular cedem mais de 60% desde o início do ano.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 dias

Se a coisa for bem escabolhado,verificamos que a noticia de holland deu aqui tambem uma primorosa ajuda.O grande mal dos perifericos e que os paises nao conseguem segurar um governo por tempo desejado,quando ele e da direita.Nao conheco nenhum mal que nao faca dores na passagem para a cura.E pena.