Crédito Banca nacional voltou a reduzir o financiamento junto do BCE

Banca nacional voltou a reduzir o financiamento junto do BCE

Março foi um mês marcado pelo maior aumento de financiamento da banca nacional junto do BCE desde Dezembro de 2015. Em Abril, a banca voltou a reduzir a sua dependência do banco central.
Banca nacional voltou a reduzir o financiamento junto do BCE
Sara Matos/Negócios
Sara Antunes 09 de maio de 2017 às 11:12
Os bancos portugueses reduziram o valores de financiamento junto do Banco Central Europeu (BCE) em Abril. A redução foi de 1,17%, ou 278 milhões de euros, face ao mês anterior, de acordo com os dados divulgados esta terça-feira, 9 de Maio, no site de estatísticas do Banco de Portugal. Quando comparado com há um ano a queda é de 5,86%, ou 1,5 mil milhões de euros. 

Esta descida surge um mês depois de se ter registado o maior aumento mensal desde Dezembro de 2015, ao aumentar o valor dos empréstimos concedidos pelo BCE à banca portuguesa me 4,33%, ou 984 milhões de euros, quando comparado com o mês anterior. Este aumento tinha colocado o montante total do financiamento da banca portuguesa junto do BCE em máximos de Junho do ano passado.

O balanço de Abril coloca em 23,44 mil milhões de euros o valor total de empréstimos concedidos pelo BCE aos bancos nacionais. Este valor está longe do máximo de 60,5 mil milhões de euros atingido em Junho de 2012, um período marcado pelo fecho dos mercados internacionais para a banca portuguesa devido ao resgate financeiro pedido em 2011.

Antes do início da crise de dívida na Europa, que começou com o pedido de ajuda financeiro da Grécia, a dependência da banca nacional do BCE era mais pequena, tendo raramente atingido os 10 mil milhões de euros. 

A redução dos financiamentos da banca nacional junto do BCE começou no final de 2012, de forma progressiva, tendo quebrado a barreira dos 30 mil milhões em Janeiro de 2015.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub