Banca & Finanças Banco CTT alvo de novo aumento de capital de 25 milhões de euros

Banco CTT alvo de novo aumento de capital de 25 milhões de euros

A empresa de serviço postal colocou mais capital na sua instituição financeira. Francisco Lacerda diz que se insere nos números já definidos. O banco emprega 162 colaboradores. Os recursos captados mais do que triplicaram em três meses.
Banco CTT alvo de novo aumento de capital de 25 milhões de euros
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 31 de Outubro de 2016 às 15:47

O Banco CTT foi alvo de um novo aumento de capital. Na semana passada, os CTT colocaram mais 25 milhões de euros na sua instituição financeira. Isto depois de, em Maio, terem também injectado 26 milhões de euros no banco.

 

Ao Negócios, Francisco Lacerda diz que a operação está "dentro do que estava planeado". "Vamos fazendo estes aumentos de capital" para suportar o crescimento dos activos, explicou o presidente executivo da empresa de serviço postal. Neste momento, e depois do reforço feito a 24 de Outubro revelado no relatório e contas dos primeiros nove meses do ano, o capital do Banco CTT ascende a 85 milhões, sendo que o investimento deverá chegar a 170 milhões em 2020. 

 

Estes aumentos de capital não têm qualquer impacto nos resultados dos CTT, já que fica tudo dentro do mesmo grupo. Sai da empresa-mãe para o banco, que é por ela detido a 100%. "Do ponto de vista consolidado é neutro", explica o CEO da sociedade.

 

Para já, o Banco CTT tem penalizado as contas da empresa-mãe, o que deverá continuar a acontecer nos próximos anos. Em Novembro deste ano, em antecipação à abertura, era dito que o equilíbrio operacional das contas ("break-even") deveria acontecer em 2018, três anos após à abertura.

 

Nos primeiros nove meses do ano, a empresa liderada por Francisco Lacerda obteve lucros de 46 milhões de euros, uma queda de 9,1% em relação ao período homólogo. Excluindo o impacto da instituição financeira, o lucro teria subido 11% para 62,5 milhões.

Sozinho, o banco obteve rendimentos operacionais de 271 mil euros que contrabalançam com os gastos operacionais de 18,8 milhões (7 milhões dos quais com pessoal). 

 

Recursos captados mais que triplicam

 

Segundo Francisco Lacerda, tudo está a correr dentro do planeado. "O banco está a correr muito bem. Nós tínhamos um plano para abrir 200 lojas até ao final do ano. Estamos perto de 150", reforça o CEO. A meta das 200 lojas mantém-se.

 

"Até ao final de Setembro, foram abertas no Banco CTT mais de 45 mil contas de cerca de 60 mil clientes, através dos quais foi possível ao banco capturar mais de 180 milhões de euros em recursos", assinala o comunicado das contas.

 

Quer isto dizer que, nos meses de Verão, entre Julho e Setembro, foram abertas mais 25 mil contas. Ao mesmo tempo, o banco conseguiu mais do que triplicar os 50 milhões de recursos que tinha registados no balanço em Junho.

 

Venda por carteiros: "A seu tempo se analisará"

 

O objectivo do banco, que tem 162 funcionários, é continuar a apostar na diversificação da oferta para os seus clientes. Ainda esta segunda-feira, o administrador com o pelouro financeiro dos CTT, André Gorjão Costa, afirmou em entrevista ao Negócios que a comercialização do crédito à habitação será uma realidade no próximo ano.

 

Em relação à venda de produtos do banco por carteiros, Francisco Lacerda assegurou que "não há nada de concreto". "É uma ideia que a seu tempo se analisará". 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Este banco está a trepar `à custa da posição dominante e ninguém vê isso. O meu dinheiro não vai para lá!O Diamantino tem tino. O Montepio é um dos bancos mais solidos, não ouviste o que disse ontem o Marques Mendes???

diamantino Há 1 semana

Não percebo alguns comentários.Penso é que deveria de haver mais concorrência. Já que os grandes bancos cobram altas comissões para cartões e afins.Aliás é normal ter que haver investimento antes de haver lucros.Como em várias áreas.
Esse é um dos motivos para em Dezembro mudar do Montepio para CTT

Anónimo Há 1 semana

QUEM TE MANDA A TI SAPATEIRO, QUERER TOCAR RABECÃO !!!
APÓS A CRIAÇÃO DO BANCO CTT, TEM SIDO SEMPRE A CAIR.

bruno Há 1 semana

tambem concordo. podiam continuar a vender produtos financeiros, creditos e poupanças, atraves dos correios, e inves disso foram criar um banco. espero que dispersem o capital do banco em bolsa

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub