Banca & Finanças Banco CTT e Santander Totta destronam bancos estrangeiros nas reclamações

Banco CTT e Santander Totta destronam bancos estrangeiros nas reclamações

No primeiro semestre do ano, duas instituições financeiras portuguesas lideraram as reclamações dos clientes, “roubando” a liderança a instituições estrangeiras.
Banco CTT e Santander Totta destronam bancos estrangeiros nas reclamações
Sara Antunes 09 de outubro de 2017 às 14:32

O Banco de Portugal recebeu, nos primeiros seis meses deste ano, um total de 7.603 reclamações, numa média de 1.267 reclamações por mês, o que representou um aumento de 7,5%, face à média mensal do ano passado, revela a Sinopse de Actividades de Supervisão Comportamental relativa aos primeiros seis meses deste ano, publicada esta segunda-feira, 9 de Outubro.

 

Por instituições financeiras, o Banco CTT e o Santander Totta lideraram nas reclamações de depósitos e de crédito hipotecário, respectivamente. Apenas o segmento do crédito ao consumo tem uma instituição estrangeira no pódio.

 

No segmento de depósitos, o Banco CTT destacou-se com 1,13 reclamações por cada 1.000 contas existentes, superando o Deutsche Bank, que ainda no balanço de 2016 liderava esta lista, bem como o BBVA, que no final do primeiro semestre do ano passado era a instituição financeira com mais reclamações nesta área, com um rácio de 0,61 por cada 1.000 contas.

 

O Deutsche Bank continua no top, sendo o segundo banco com mais reclamações. Em terceiro lugar surge o BBVA.

 

Já no que respeita aos contratos de crédito hipotecário, é o Santander Totta que se destaca, com 1,12 reclamações por cada 1.000 contratos celebrados. A média do sistema é de 0,50. O banco liderado por Vieira Monteiro regista assim um aumento significativo face aos dados o mesmo período do ano passado, período em que registou 0,73 reclamações por cada 1.000 contratos.

 

Em segundo lugar surge o Banco BIC, com um rácio de 0,95, e em terceiro o BBVA, que observou uma redução assinalável nas reclamações no espaço de um ano, passando de um rácio de 1,73 para 0,91.

 

Já no segmento de crédito aos consumidores, é uma financeira estrangeira que lidera: a FCE, do grupo Ford, com 1,15 reclamações por cada 1.000 contratos. Segue-se o Caixa Leasing e Factoring, com um rácio de 0,87 – inferior ao verificado há um ano (1,0) – e o Deutsche Bank, com 0,81 reclamações. 




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 09.10.2017

O BancoCtt nem sabe que em Portugal os algarismos décimais se separam com uma vírgula e não com um ponto.
No Homebanking a password para protecção tem de ser escrita num teclado em que tem as letras todas trocadas e que demoram a procurar, quando chego ao fim de escrever a password desligam o Homebanking pois tem uns x segundos para escrever, mas, ao menos são bem educados pois escrevem obrigado pela sua visita.
Já reclamei, mas acham que corrijiram? Não ligam patavina.

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

BCTT no podium! Decididamente, inovação não é apenas colar post-its na parede.

Anónimo 10.10.2017

A privatização dos CTT foi mais um assalto de Passos a Portugal. Acabou no que se vê... na cotação de bolsa abaixo do valor da OPA e com os abutres da Goldman Sachs do tio Durão a empocharem milhões... por isso estas banquetas laranjas é fugir delas...

Anónimo 09.10.2017

O menino Francisco Lacerda vai destruir os CTT. E vai ser promovido a Presidente da EDP. Merito? Favores como sempre. Os chineses deveriam informa se melhor destes lobbys...

Cliente 09.10.2017

Entre muitos outros problemas, o Homebanking é uma verdadeira desgraça...já lhes perguntei se olharam para o lado, mas não vale a pena.
Como disse o comentador Salazar, talvez o problema seja daqueles que estavam em outros bancos e criticavam tanto a informática, agora, não se passa nada.

ver mais comentários
pub