Banca & Finanças Banco polaco do BCP descarta aumento de capital

Banco polaco do BCP descarta aumento de capital

As perdas com os empréstimos em francos suíços serão compensadas com a retenção de lucros, garante CEO da unidade polaca do BCP, João Brás Jorge.  
Banco polaco do BCP descarta aumento de capital
Reuters
Negócios com Bloomberg 10 de fevereiro de 2017 às 09:26

O Millennium Bank, banco polaco controlado em 50,1% pelo Banco Comercial Português, não terá que efectuar um aumento de capital para fazer face ao impacto das perdas relacionadas com os empréstimos em francos suíços.

 

A garantia é do CEO da unidade polaca do BCP, João Brás Jorge, que em entrevista ao jornal Parkiet cita estimativas iniciais da instituição financeira que apontam nesse sentido.

 

A Autoridade de Supervisão Financeira da Polónia (KNF, na sigla em polaco) emitiu uma série de recomendações, que enviou ao ministro das Finanças do país, que devem ser cumpridas pelos bancos para lidar com a exposição aos empréstimos em moeda estrangeira, sobretudo francos suíços.

 

João Brás Jorge diz que estas recomendações não implicam a necessidade de um aumento de capital no Millennium Bank. Todas as necessidades de capital potenciais serão cobertas internamente, retendo os resultados, "tal como vai acontecer, por exemplo, como os lucros de 2016", disse o CEO.

 

Na notícia da Bloomberg que cita a entrevista ao Parkiet nada é referido sobre a remuneração aos accionistas, mas esta retenção de lucros poderá penalizar o pagamento de dividendos aos accionistas.

 

Brás Jorge defende que a solução para os empréstimos em francos suíços da banca polaca não "deverá enfraquecer o sector", uma vez que os bancos já "fizeram muito" para ajudar os clientes que contraíram os empréstimos em moeda estrangeira.

 

Nas recomendações que enviou ao governo, o regulador recomenda que os bancos construam almofadas de capital para fazer face aos empréstimos em francos suíços e que negoceiem directamente com os clientes afectados, de modo a que sejam firmados acordos para a reestruturação dos créditos. Descarta contudo a introdução de uma taxa adicional sobre estes empréstimos em moeda estrangeira e considera que este problema não representa um risco sistémico para a banca polaca.

O BCP, que controla a maioria do capital do Millennium Bank, concretizou este mês um aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros.

   




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 10.02.2017

enquanto não houver pena de morte para os vigaristas profissionais, a banca nunca mais vai ao sitio, um garoto como o que está no BCP, que jurava pela alma de cão, que tem que o BCP ia pagar os cócós que ele fez, sem ser preciso mais capital, ao mesmo tempo que nos roubava tudo para dar aos chinocas

Anónimo 10.02.2017

O NUNO DESAMADO TAMBÉM GARANTIA QUE NÃO HAVERIA AUMENTO CAPITAL E O RESULTADO FOI O QUE SE VIU ENTERROU OS PEQUENOS ACIONISTAS VIVOS.ONDE HÁ FUMO À FOGO.ATENTOS E COM OS OLHOS BEM ABERTOS.NÃO DOU UM ANO PARA NOVO AUMENTO DE CAPITAL.E ASSIM CORREM COM PEQUENOS ACIONISTA DE UMA VEZ POR TODAS.

Anónimo 10.02.2017

que merda de gerencias, todos os dias se descobre buracos. mais parece um campo minado

Conselheiro de Trump 10.02.2017

La diz o ditado:agua mol em pedra dura tanto bate ate que fura.Saidos dos escombros,daqui a nada batem com a cabeca no Ceu.A psicologia Isabel dos santos e os chineses estao a dar um valor imparavel.

ver mais comentários
pub