Banca & Finanças Banco RBS acaba com um quarto dos balcões e elimina 680 empregos

Banco RBS acaba com um quarto dos balcões e elimina 680 empregos

Em menos de uma semana é o segundo grande banco britânico a anunciar encerramento de agências. Em 2017, o Royal Bank of Scotland terá perdido um terço do total de balcões.
Banco RBS acaba com um quarto dos balcões e elimina 680 empregos
Paulo Zacarias Gomes 01 de dezembro de 2017 às 13:28
O Royal Bank of Scotland (RBS) anunciou o encerramento de um quarto da sua rede de balcões no Reino Unido, uma medida que pretende adaptar a actividade para a transição dos clientes para plataformas móveis e online.

O corte, noticiado esta sexta-feira, 1 de Dezembro, pelo Financial Times, implicará a redução de 680 postos de trabalho. Serão encerradas 259 agências (62 do RBS e 197 da NatWest) passando o banco a contar com 744 sucursais em território britânico.

"Desde 2014, o número de clientes que usam as nossas agências caiu 40% enquanto as transacções móveis aumentaram 73%," disse um porta-voz do banco, acrescentando que há cinco milhões de clientes que já usam as aplicações tecnológicas e um em cada cinco clientes já só se relaciona com o banco por esta via.

Esta é a segunda vez este ano que o banco detido pelo Estado anuncia cortes de estrutura, depois de em Março ter revelado a intenção de fechar 158 balcões. Com os cortes anunciados esta sexta-feira, só em 2017 foi decidido fechar mais de um terço da rede de balcões.

O banco resgatado pelo Estado britânico há quase uma década espera produzir lucros em 2018, pela primeira vez em 11 anos. Um resultado que, segundo a Reuters, está dependente do momento em que consiga fechar com sucesso um acordo com as autoridades norte-americanas envolvendo irregularidades na venda de títulos garantidos por créditos hipotecários.

Ainda esta quarta-feira outro banco britânico - o Lloyds, liderado pelo português António Horta Osório - deu conta da intenção de encerrar mais 49 agências, entre sucursais do Lloyds Bank e do Halifax Bank of Scotland, que acrescem aos 100 balcões cujo fecho já tinha sido anunciado em Abril passado. Encerramentos que ameaçam mais 99 postos de trabalho, segundo os sindicatos.

Em Agosto a Reuters estimava que os bancos britânicos deveria terminar 2017 com menos 762 balcões, um recorde de fechos. Além da transição tecnológica, a degradação das margens dos bancos - devido aos juros baixos e à concorrência das fintech - está a justificar a decisão de encerramento.



pub