Banca & Finanças Bankia pondera cortar 2.510 empregos

Bankia pondera cortar 2.510 empregos

Os cortes previstos, pós-fusão do Bankia com o Banco Mare Nostrum, correspondem a cerca de 14% do total do efectivo de trabalhadores das duas instituições, que ascende a 17.353 pessoas.
Bankia pondera cortar 2.510 empregos
Paulo Zacarias Gomes 18 de dezembro de 2017 às 16:02
O banco espanhol Bankia está a propor aos sindicatos a aplicação de um Expediente de Regulação de Emprego (ERE) que vai abranger os postos de 2.510 trabalhadores da instituição.

Os cortes previstos, que são avançados pelo El País, estão relacionados com a fusão entre o Bankia e o Banco Mare Nostrum (BMN), aprovado a 15 de Dezembro pela concorrência espanhola.

Os cortes previstos correspondem a cerca de 14% do total do efectivo de trabalhadores (17.353 no total) que resulta da soma das duas instituições fundidas: 13.449 do Bankia e 3.904 do BMN. 

Dos mais de 2.000 colaboradores abrangidos, 817 estão nos serviços centrais do Bankia e 1.118 trabalham nas agências.

Além destes, a administração do banco invocou também a necessidade de libertar os quadros de mais 575 empregados, 200 dos quais ligados ao fenómeno da digitalização da banca, que diminui o recurso dos clientes aos balcões físicos dos bancos.

Poderão, em virtude desta transformação, vir a ser encerradas 250 sucursais do banco. 

O banco deverá permitir a pré-reforma a colaboradores com mais de 55 anos e, para aqueles que estejam abaixo desta idade, deverá propor a sua integração nos serviços dos bancos, mas noutras geografias de Espanha. 

Os sindicatos já consideraram que o número proposto pela administração é excessivo, desejando que as saídas sejam voluntárias e reduzidas ao mínimo.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub