Web Summit Barroso diz que Europa tem "atitude negativa" face aos EUA

Barroso diz que Europa tem "atitude negativa" face aos EUA

O antigo primeiro-ministro de Portugal e ex-presidente da Comissão Europeia esteve na Web Summit para falar da relação entre empreendedores e governos. Mas também foi tema.
Barroso diz que Europa tem "atitude negativa" face aos EUA
O administrador da Goldman Sachs marcou presença nos dois primeiros dias do Web Summit
Bruno Simão
Isabel Aveiro 08 de Novembro de 2016 às 11:47

"Jose", como foi tratado pela moderadora da Web Summit, ia falar sobre o tema se seria um "casamento infernal" o que existe entre governos e empreendedores no segundo dia do Web Summit, em Lisboa.

 

Mas a pergunta, durante a sessão da manhã desta terça-feira no palco central do Pavilhão Atlântico (Meo Arena) foi para Durão Barroso: "acha que foi tratado de forma muito severa" por ter saído directamente da presidência da Comissão Europeia para o grupo Goldman Sachs?

 

José Manuel Durão Barroso optou pelo ataque: "tenho uma opinião diferente", disse. O facto de um assunto ter sido tratado como foi, o que inclui uma petição popular com várias dezenas de subscrições em desagravo pela atitude do anterior líder de Bruxelas, mostra, para Durão Barroso, "a atitude negativa" que a Europa ainda tem "face às instituições financeiras e americanas".

 

Mais à frente, no discurso, deixou cair as instituições financeiras, mas insistiu no argumento do antagonismo europeu anti-americano. "Ainda existe uma atitude europeia negativa na Europa face aos EUA - tudo é mau" quando vem de lá, insistiu várias vezes.

 

"Penso que isto é errado", defendeu, sobretudo num contexto de globalização em que o mundo actualmente vive, argumentou. E pensando talvez no TTIP (acordo comercial entre a União Europeia e EUA), o actual administrador não executivo do Goldman Sachs, antigo presidente da Comissão Europeia, deu o recente acordo comercial entre a União Europeia e o Canadá como bom exemplo de cooperação entre os dois lados do Atlântico.

 

Sobre a "guerra" entre a Comissão Europeia e grandes gigantes tecnológicos como a Google e Facebook, Barroso disse acreditar que Bruxelas não é "parcial", e defendeu ser a favor de uma concorrência forte. A questão, acrescentou, é que para um empreendedor que queira lançar o seu negócio, são "28 leis" diferentes a enfrentar - "não é possível". 




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
NOJO, É O SENTIMENTO QUE INSPIRAS Há 2 dias

A tua marca de água é não teres sombra de carácter e prestares-te a fazer todos os "trabalhinhos" sujos, em troca de uma mão-cheia de dólares ou de euros.
O sentimento que inspiras, porco, é o de NOJO.

ESTÁ-TE NO SANGUE. NÃO HÁ VOLTA A DAR Há 2 dias

Com a tua afirmação de que a " EUROPA TEM ATITUDE NEGATIVA FACE AOS EUA" está já a fazer o etu "servicinho" sujo habitual, como quadro do Banco Goldman Sachs, multinacional financeira norte-americana.
Não é, pulha ?
Vendes-te a quem der mais.
Nasces-te assim e hás-de morrer assim.

SÍTIO MUITO MANHOSO Há 2 dias

SE PORTUGAL FOSSE UM ESTADO DE DIREITO, ESTE CRIMINOSO DE GUERRA, ERA ENVIADO PARA O TRIBUNAL DE HAIA !

Ricardo Há 2 dias

Só de pensar k votei nele.. abandonou o país pra meter o leitão no banco de portugal sem formação e a seguir forneceu informações a goldman pra ter emprego de reforma.. granda porco.. como o puseram a falar???

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub