Banca & Finanças BBVA supera estimativas com lucros de 965 milhões de euros

BBVA supera estimativas com lucros de 965 milhões de euros

Os resultados do segundo maior banco espanhol foram impulsionados pela venda de uma participação num banco chinês e pelo crescimento das receitas de negociação.
BBVA supera estimativas com lucros de 965 milhões de euros
Miguel Baltazar/Negócios
Rita Faria 27 de Outubro de 2016 às 10:38
O BBVA reportou esta quinta-feira, 27 de Outubro, um resultado líquido que superou as estimativas dos analistas.

O banco espanhol fechou o terceiro trimestre com lucros de 965 milhões de euros, o que compara com o prejuízo de 1,06 mil milhões de euros no mesmo período do ano passado, que reflectiu a aquisição de uma participação num banco da Turquia.

Os lucros do BBVA superaram as estimativas dos analistas, que apontavam para um total de 870 milhões de euros.

Os resultados do segundo maior banco espanhol foram impulsionados pela venda de uma participação de 0,75% no China Citic Bank, por 75 milhões de euros, e pelo aumento das receitas de negociação para 557 milhões de euros, o que compara com os 133 milhões de há um ano.

O rácio core tier 1 subiu de 10,71%, no segundo trimestre, para 11% nos três meses seguintes. Já a percentagem de crédito malparado ficou inalterada face ao final de Junho em 5,1%.

Segundo a Bloomberg, na conference call com analistas, realizada esta quinta-feira, o CEO do banco, Carlos Torres, afirmou que Espanha continua a ser um mercado muito desafiador, devido aos juros negativos e ao baixo volume de empréstimos, pelo que é "crucial" reduzir custos.

O BBVA estima que este ano o banco terá perdido cerca de dois mil funcionários, incluindo a eliminação de 1.700 postos de trabalhado já anunciada, na sequência da integração do CatalunyaCaixa.

As acções do banco espanhol sobem 0,89% para 6,487 euros. 



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub