Banca & Finanças BBVA e Deutsche Bank lideram reclamações de clientes bancários

BBVA e Deutsche Bank lideram reclamações de clientes bancários

O BBVA foi o banco com mais reclamações por parte dos clientes bancários no primeiro semestre de 2016.
BBVA e Deutsche Bank lideram reclamações de clientes bancários
Miguel Baltazar/Negócios
Patrícia Abreu 13 de Outubro de 2016 às 16:45

Os bancos estrangeiros com actividade em Portugal continuam a liderar as queixas dos clientes bancários. O BBVA foi, no final do primeiro semestre, o banco com mais reclamações no segmento do crédito à habitação e também nas contas de depósito. Já o Deutsche Bank é o mais reclamado no crédito ao consumo.

Tal como aconteceu no ano passado, o espanhol BBVA continuou a ser a instituição alvo de mais reclamações nas contas de depósito – a categoria com mais reclamações – e no crédito hipotecário, segundo a Sinopse de Actividades de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal, divulgado esta quinta-feira, 13 de Outubro.

Recebeu, no primeiro semestre, 0,61 queixas por cada 1.000 contas de depósito, quando a média foi de 0,11 reclamações. O Deutsche Bank e o Santander surgem imediatamente a seguir, em segundo e terceiro lugar, na lista de mais reclamados.

No crédito hipotecário, o BBVA foi alvo de 1,73 reclamações por cada mil contratos de crédito, seguido pelo Banco BIC  e pelo Santander, ambos com 0,73 queixas por cada mil contratos. Segundo o Banco de Portugal, as instituições tiveram "em média, mais de duas reclamações por trimestre em 2016".

No crédito ao consumo as financeiras do sector automóvel continuam a protagonizar entre as instituições mais reclamadas, mas foi o Deutsche Bank que liderou as reclamações, substituindo a financeira do Montepio no pódio das queixas, que deixou de estar entre as instituições mais reclamadas.

A Caixa Leasing e Factoring e a RCI Banque, financeira da Renault, completam o "ranking" das instituições com maiores reclamações no sector do crédito ao consumo, com 1,00% e 0,75% queixas por cada 1.000 contratos de crédito ao consumo.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões mínimas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado injetou, em 2015 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões da CGA.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões mínimas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado injetou, em 2015 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões da CGA.

Anónimo Há 2 semanas

Não admira. Com os despedimentos só ficam os gosmas que nada fazem. Só sabem engraxar.
O cliente precisa de qualidade nos serviços e nos produtos. Graxa só suja. E é baça. Não é transparente.
Enfim. Quando os líderes não prestam ...

grupourbe Há 2 semanas

Não sei porque existem órgãos de regulação neste país.Pura e simplesmente não funcionam.Depois estas entidades fazem o que querem!!

pub
pub
pub
pub