Bolsa BCP afunda mais de 8% no segundo dia após fusão de acções

BCP afunda mais de 8% no segundo dia após fusão de acções

Depois de terem perdido mais de 2,5% na sessão de ontem, os títulos do BCP continuam a afundar em bolsa, no segundo dia de negociação após a fusão dos títulos.
BCP afunda mais de 8% no segundo dia após fusão de acções
Miguel Baltazar/Negócios

É mais uma sessão de perdas para o BCP, que concretizou, no arranque desta semana, a fusão de acções. Os títulos afundam 7,28% para 1,21 euros, depois de terem chegado a desvalorizar um máximo de 8,35%, esta manhã, para negociarem em 1,196 euros.

Esta é a segunda sessão consecutiva de perdas para o Banco Comercial Português, que deslizou 2,66% na segunda-feira, dia em que as acções foram agrupadas em blocos de 75 – ou seja, cada grupo de 75 títulos passou a ser apenas uma acção.

Os accionistas que ficaram com acções restantes nas suas carteiras – até um máximo de 74 – vão receber uma contrapartida de 2,57 cêntimos por cada um desses antigos títulos do BCP.

Esses títulos serão então adquiridos pelo banco que os vai promover no mercado por conta dos titulares (mas sem quaisquer encargos para estes). Esse dinheiro deverá chegar aos accionistas, acredita a instituição financeira, até 8 de Novembro.

O calendário para esta operação foi conhecido no final do mês passado, na mesma altura em que a instituição informou que iria dar seguimento às negociações exclusivas com a Fosun, o grupo chinês que quer entrar no capital do BCP.

A realização da fusão de acções era uma das condições impostas pelo grupo - dono da Fidelidade e da Luz Saúde - para concretizar o investimento.

Para que esta operação pudesse avançar, foi necessária uma alteração ao Código de Valores Mobiliários para que houvesse enquadramento jurídico para um reagrupamento de acções sem que o capital social fosse reduzido. O Governo promoveu essa alteração, que teve aceitação por parte do Presidente da República em 
menos de 48 horas. 




A sua opinião50
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana

O Zé da tasca ali da esquina geria melhor e não levava o que este palhaço leva de salario para casa.

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

vergonhas de gente, isto é queimar em lume brando, se os podres que lá estão a única coisa que sabem fazer é roubar, essa escumalha tem que ser queimada na praça Publica, garoto ordinário, gatuno destruiste com tudo ladrão.

Anónimo Há 1 semana

è pá, mais um dia que passou e não gastei dinheiro nesta cotada!

Anónimo Há 1 semana

De desvalorização em desvalorização, os acionistas vão receber zero. Esta tentativa de sobrevivência para gestores e trabalhadores da instituição, já não convence investidores. Prevê-se um fim triste. As grandes vitimas são os clientes.

Anónimo Há 1 semana

toda a quadrilha tem um cabecilha, todos os que ocupam postos de trabalho em que os próprios não podem fazer negócios, tem os compinchas que fazem por eles e depois comem com eles, neste país ninguém fiscaliza as grandes burlas, o BCP é uma burla, o cabecilha roubou tudo aos pobres para os da ceita.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub