Banca & Finanças BCP aumenta capital para pagar restante ajuda ao Estado

BCP aumenta capital para pagar restante ajuda ao Estado

O banco liderado por Nuno Amado já reembolsou o Estado em mais 50 milhões de euros, no mês passado. O aumento de capital anunciado servirá para devolver os restantes 700 milhões e fortalecer o balanço.
BCP aumenta capital para pagar restante ajuda ao Estado
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 09 de janeiro de 2017 às 19:28

O BCP vai fazer um aumento de capital de 1,33 mil milhões de euros, uma operação que foi aprovada esta segunda-feira, 9 de Janeiro, pela administração do banco.

 

O banco confirmou a operação em comunicado emitido para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), onde revela o destino deste valor. Por um lado vai ser usado para reembolsar o Estado em 700 milhões de euros, valor que ainda resta da ajuda de 3.000 milhões de euros injectados em 2012. O BCP relava ainda que, a 30 de Dezembro, fez um reembolso de 50 milhões de euros ao Estado, uma informação já noticiada, no final do ano passado, pelo Dinheiro Vivo

 

A instituição liderada por Nuno Amado precisa da autorização do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal para poder realizar este tipo de operações. E, segundo o comunicado, já as tem. Sendo que a devolução da ajuda fica dependente da "conclusão com sucesso" do aumento de capital.

 

O BCP adianta ainda que além de reembolsar o Estado, o aumento de capital vai permitir a instituição a reforçar os seus capitais. Assim, o rácio de solvabilidade CET 1 seria de 11,4%, tendo em consideração os valores a 30 de Setembro de 2016. Os dados divulgados nas contas do terceiro trimestre revelam que o CET 1 se situou nos 9,5% em Setembro.

O conselho de administração do banco manteve as metas traçadas para o final de 2018, que passem por fechar aquele ano com um CET1 "de aproximadamente 11%", além de um rácio de crédito sobre depósitos inferior a 100%.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub