Banca & Finanças BCP deve estender passadeira vermelha à Fosun

BCP deve estender passadeira vermelha à Fosun

O BCP deve aprovar esta segunda-feira o aumento, de 20% para 30%, do limite de votos existente no banco. Decisão cumpre última condição para o reforço da posição da Fosun como maior accionista da instituição.
BCP deve estender passadeira vermelha à Fosun
Miguel Baltazar/Negócios
Maria João Gago 18 de dezembro de 2016 às 12:00

Os accionistas do BCP devem aprovar esta segunda-feira a proposta de alteração do limite de votos dos actuais 20% para 30%, cumprindo a última exigência feita pela Fosun para investir até 500 milhões no banco liderado por Nuno Amado. Se a proposta dos maiores accionistas for aprovada, o conglomerado chinês poderá percorrer a passadeira vermelha o que reforçará a sua posição como maior accionista da instituição, podendo elevar a sua participação até 30%.

 

A decisão dos accionistas será tomada na sessão destinada a concluir a assembleia-geral iniciada a 9 de Novembro, que acabou adiada para dia 21 desse mês e cujo encontro final tem lugar às 11:00 desta segunda-feira, 19 de Dezembro.

 

Ao que o Negócios apurou, já foi possível reunir o consenso accionista necessário para viabilizar a proposta de alteração de estatutos. Na sessão da AG realizada a 21 de Novembro, esta proposta acabou por não ser votada, uma vez que a Sonangol, então maior accionista do BCP, ainda não dispunha de autorização do Banco Central Europeu (BCE) para poder superar a fasquia dos 20% no banco.

 

Não foi possível apurar se a autorização do supervisor europeu já chegou. No entanto, de acordo com informações recolhidas pelo Negócios, independentemente da posição do BCE face ao pedido da Sonangol, a proposta de alteração do limite de votos deverá ser viabilizada.

 

A decisão dos accionistas do BCP sobre a última condição imposta pela Fosun acontece já depois da entrada do grupo chinês no capital do banco. A 18 de Novembro, o conglomerado de Guo Guangchang investiu 174,58 milhões de euros num aumento de capital do banco reservado apenas à Fosun. Na sequência desta operação, o grupo chinês passou a ser o maior accionista do BCP, com 16,7%. Ainda assim, uma vez que a reunião desta segunda-feira teve início a 9 de Novembro, antes da entrada da Fosun, o maior accionista do banco não poderá estar presente na AG.

 

Esta não foi a única alteração accionista entretanto concretizada. A 13 de Dezembro, o Sabadell, antigo segundo maior accionista do BCP e parceiro histórico do banco, vendeu a sua posição de 4,1% através de uma colocação acelerada, encaixando 44 milhões de euros.



A sua opinião15
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 19.12.2016

a passadeira vermelha são os desgraçados dos micro-investidores que para alimentar o parasita n.amado que arruinou 190 000, serviu-se deles e agora pegou neles e com eles preparou a passadeira para entregar o bcp ao abutre chinoca esmagando-os até o sufoco final.triturou 5000 milhões aos investidors

Anónimo 18.12.2016

Foi a dois aumentos de capital acreditando no senhor Nuno Amado, pensando eu ser um grande gestor! Enfim não tenho palavras para descrever a minha insatisfação! Hoje em dia nem um quarto do dinheiro tenho, se as vende se!

Anónimo 18.12.2016

num banco como o BCP devem estar homens e pessoas de palavra não é um garoto como esse pulha mentiroso, que encheu a pança de dinheiro para roubar tudo aos pequenos accionistas em quem o garoto nunca falou só precisou de nós para vender a mentira que o banco estava no bom caminho, rua porco sujo.

DEMITA-SE, sr. NUNO AMADO ! 18.12.2016

O actual presidente do BCP, NUNO AMADO, tem-se mostrado, completa e miseravelmente, impotente para retirar o Banco do ecran dos especuladores (LEIA-SE, OS SHORTERS), que têm destruido o Banco, através da manipulação infame da sua cotação.
O sr. AMADO que seja honesto para consigo e se demita.

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub