Banca & Finanças BCP devolveu 50 milhões ao Estado na última sexta-feira de 2016 para manter Polónia

BCP devolveu 50 milhões ao Estado na última sexta-feira de 2016 para manter Polónia

O BCP tinha de reduzir a ajuda pública a 700 milhões de euros no final de 2016. Senão, tinha de vender a posição no Millennium Bank, na Polónia. Para o evitar, devolveu 50 milhões de euros na última sexta-feira do ano.
BCP devolveu 50 milhões ao Estado na última sexta-feira de 2016 para manter Polónia
Sara Matos
Diogo Cavaleiro 12 de Janeiro de 2017 às 20:35

O Banco Comercial Português (BCP) espera reembolsar os 700 milhões de euros em instrumentos híbridos (CoCos) com o encaixe conseguido com o aumento de capital que vai realizar a partir da próxima semana. Mas até 30 de Dezembro tinha 750 milhões por devolver. A diferença de 50 milhões tem uma justificação: a Polónia.

 

O BCP devolveu 50 milhões de euros em CoCos na última sexta-feira de 2016, como noticiado então pelo Dinheiro Vivo, para respeitar um compromisso que permitia manter a posição no Millennium Bank, a instituição financeira de que é maioritário na Polónia, com 50,1% do capital.

A justificação para ter realizado tal operação é dada agora no prospecto do aumento de capital, publicado esta quinta-feira, 12 de Janeiro.

 

"O Plano de Reestruturação previa ainda o compromisso de alienação condicional da participação financeira da operação na Polónia caso o montante de CoCos por reembolsar no final de 2016 excedesse os 700 milhões de euros, o que não se verificou tendo em conta o reembolso dos 50 milhões de CoCos a 30 de Dezembro de 2016", indica o documento.

 

O banco recebera 3 mil milhões de euros em 2012 em CoCos e tinha como um dos compromissos a devolução até 700 milhões no final de 2016, sendo que toda a ajuda teria de ser paga no ano seguinte. O BCP cumpriu o objectivo no final do ano passado com a devolução dos 50 milhões de euros e espera agora concretizar toda a devolução com o valor arrecado no aumento de capital de 1,3 mil milhões de euros que inicia na próxima semana





A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Só berram nas redes sociais e cafés...ahahaha Há 5 dias

Ó seus "CAMELOS" .
Quando será que perdem a cobardia e fazem como fizerem umas centenas largas de ESPOLIADOS do BES ?? Têm VERGONHA é ? De quê? De estarem constantemente a serem ROUBADOS ?
Se não sabem o que fazer ao vosso dinheiro,dêem-no ao pobres,que precisam mais que os 400/ano do desAmado.

Resposta de Rebeloa Só berram nas redes sociais e cafés...ahahaha Há 4 dias

Deixe de ser "Best@"

Anónimo Há 5 dias

it's a trap. up and then down

Anónimo Há 5 dias

Ridiculo. E quem autorizou? Porque para devolver é preciso autorização. O pedido de devolução de 250 milhões feito em Maio do ano passado, nunca teve visto bom do BCE, apesar de muita propaganda. O BP, a CMVM e o BCE continuam a demonstrar que não passam de um ninho de ratos. E o mercado, pelos vistos, só soube porque foi feito um prospeto que, tão pouco sabemos se foi aprovado. A CMVM podia fechar portas. Bando de palhaços.

Anónimo Há 5 dias

E porque é que isto não veio a público antes? O que é que há a temer? Era uma boa notícia para as ações subirem...

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub