Banca & Finanças BCP em mínimos históricos não impede ganho do PSI-20

BCP em mínimos históricos não impede ganho do PSI-20

A bolsa portuguesa valorizou-se pelo segundo dia consecutivo, a acompanhar os ganhos do resto da Europa. A Jerónimo Martins, a Nos e a EDP, ao somarem mais de 1%, impulsionaram o PSI-20. O BCP perdeu 2%.
Diogo Cavaleiro 27 de Dezembro de 2016 às 16:41

A Bolsa de Lisboa veio do Natal tingida de verde, a mesma cor com que havia terminado as negociações antes de encerrar para as festividades. O índice PSI-20, com 12 empresas em alta, conseguiu avançar 0,60% para 4.663,55 pontos, depois de ter somado também na sexta-feira.

 

Na Europa, os ganhos foram ligeiros, com os investidores atentos à evolução da situação italiana, nomeadamente aos custos em torno do resgate do Monte dei Paschi que, segundo noticiado esta terça-feira, serão superiores ao inicialmente estimado.

 

O BCP foi o destaque pela negativa num dia positivo para a generalidade do índice. O banco liderado por Nuno Amado encerrou a perder 2,27% para 1,0653 euros, depois de ter tocado em 1,05 euros por acção, o mínimo histórico, já ajustado das alterações na cotação causadas pela fusão de acções que teve lugar em Outubro.

 

No valor mais baixo de sempre esteve também outra empresa da banca, o Montepio, com as suas unidades de participação a descer 0,24% para 0,42 euros. O BPI terminou com uma quebra ligeira de 0,09% para 1,127 euros enquanto se aguarda o avanço da oferta pública de aquisição lançada pelo CaixaBank com um preço de 1,134 euros por acção.

 

Apesar da descida da banca, Lisboa conseguiu fechar no verde, com a Jerónimo Martins a dar o principal contributo, graças à subida de 1,11% para 14,555 euros. A concorrente Sonae fechou a ganhar 0,46% para 0,872 euros.

 

A valorizar-se mais de 1% e também a empurrar o índice para terreno positivo esteve a EDP, com um aumento de 1,11% para 2,919 euros, enquanto a EDP Renováveis terminou o dia a negociar nos 5,931 euros, com um avanço de 0,36%.

 

No destaque pela positiva esteve igualmente a Nos. A operadora ganhou 1,30% para 5,615 euros enquanto a Pharol, accionista da operadora brasileira Oi, apreciou 1,92% e terminou o dia em 0,212 euros.

 

Semapa em máximo de um ano

 

A Semapa ganhou 0,72% para 13,345 euros sendo que a meio da sessão tocou nos 13,43 euros, o valor mais alto do último ano. Na sexta-feira, o Norges Bank anunciou o reforço para 2,16% na Navigator, a ex-Portucel, que é controlada pela Semapa. A Navigator somou 1,18% para 3,268 euros. No sector, a Altri ganhou 1,78% para 3,881 euros. 

 

Em dia de aumento dos preços do petróleo nos mercados internacionais, com o barril a ficar mais caro pelo sétimo dia consecutivo em Nova Iorque, a Galp Energia encerrou com uma desvalorização de 0,25% para 14,16 euros. 


(Notícia actualizada com mais informações às 16:58)



A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Rado Há 3 semanas

Chega de falar desta aberração que é o BCP. Falemos da semapa, da ex-Portucel, Altri.

paspis Há 3 semanas

pero estas acciones no van a parar de bajar nunca

ABCDEF1 Há 3 semanas

BANCO MALDITO.

Anónimo Há 3 semanas

Muitos me censuraram quando eu escrevia: "As subidas do BCP são isco para apanhar BCPatos".
Que dizem agora?
Os Cocos são para esquecer, serão os contribuintes, mais uma vez, a suportar.

ver mais comentários
pub