Bolsa BCP recupera de mínimo histórico com primeira subida em três sessões

BCP recupera de mínimo histórico com primeira subida em três sessões

As acções do BCP chegaram a afundar mais de 9% para mínimos históricos, mas recuperaram depois das declarações do CFO do banco.  
BCP recupera de mínimo histórico com primeira subida em três sessões
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro 09 de fevereiro de 2017 às 17:07

Mais uma sessão de altos e baixos no BCP. Com a admissão à negociação das novas acções resultantes do aumento de capital, os títulos iniciaram a sessão em queda, que se acentuou até atingirem um mínimo histórico de 13,27 cêntimos.

 

Tal aconteceu a meio da manhã, na mesma altura em que decorria na Euronext uma sessão especial para assinalar a admissão à negociação de mais de 14 mil milhões de novas acções. Depois das declarações de Miguel Bragança, CFO do banco, as acções encetaram um movimento de recuperação e conseguiram fechar mesmo em terreno positivo.

 

Terminaram o dia a valorizar 0,48% para 14,67 cêntimos, naquela que foi a primeira sessão de ganhos em três. Nos dois dias anteriores as acções registaram fortes quedas (-15,8%).

 

Na sessão na Euronext, Miguel Bragança considerou "normal" a reacção das acções, pois "quem subscreveu a acção a 9,4 cêntimos é normal que tenha oportunidade para vender. Há algum ‘profit taking’".

  

O CFO do BCP adiantou que "é normal nos aumentos de capital haver muitas oscilações" e quem "consegue subscrever muito barato" acaba depois por aproveitar para vender.

 

No mesmo evento, Miguel Bragança mostrou-se muito satisfeito com a nova estrutura accionista, que considera diversificada e estável. Reiterou também que os chineses da Fosun mantêm o compromisso público de atingir 30% do banco. Algo que só será agora possível através de compras em bolsa.

 

Na estreia das novas acções, a sessão fica também marcada uma forte liquidez, já que foram transaccionados 309 milhões de acções, quando a média diária de seis meses é de 24 milhões de acções.

 

Apesar da recuperação na segunda metade da sessão, o BCP acumula ainda uma queda de 20,47% este ano. Com o reforço de capital, a capitalização bolsista do banco é agora de 2,217 mil milhões de euros.

 

A entrada destas novas acções - que mais do que duplica o peso do BCP no PSI-20 para quase 10% - marca o fim do processo de aumento de capital, que se traduziu num encaixe de 1,33 mil milhões de euros para o banco, montante que será utilizado maioritariamente para reembolsar a ajuda do Estado. O CFO do banco revelou que o BCP procedeu já hoje ao pagamento de 700 milhões de euros ao Estado.


Após o aumento de capital, a Fosun reforçou o estatuto de maior accionista, passando a deter perto de 23,92% do capital do banco, enquanto a Sonangol manteve o estatuto de segundo maior accionista, com mais de 15% do capital. 






A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Balseminho 09.02.2017

Banco Mao

Anónimo 09.02.2017

O volume de transacção 50 Milhões em media no últimos 6 meses e 250 Milhões hoje são tostões só no aumento foram 15 mil milhões de novas ações a 9,5 cent.. Os fundos amedrontam os pequenos medricas, e que brincam entre eles. Alguém acha que isso mexe com que detém o banco a longo prazo???

Propaganda custa dinheiro 09.02.2017

Antes do RSS não existia comunicação por parte do banco, agora é demais. Que ganhem muito mas que estão com medo do fracasso lá isso estão, pois nunca vi tanta noticia em tão pouco tempo sobre uma cotada.

Visionario 09.02.2017

O bcp so pode ser opado por um dos acionistas de peso! Acredito q se o petroleo subir mt rapidamente a isabel Lance opa! De contrario a fosun esta em melhor posicao para o FAZER pk pode fundir as seguradoras e trabalhar a vontade! A meu ver o 1 alvo seria atacar o NB, mega grupo com 500 m. Sinergias

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub