Banca & Finanças BCP reúne accionistas para subir limite de votos para 30%

BCP reúne accionistas para subir limite de votos para 30%

Os accionistas do BCP vão reunir-se em assembleia-geral a 9 de Novembro para decidir o futuro da blindagem de estatutos. A gestão propõe subir o limite de votos para 30%. Está aberta a porta à Fosun.
BCP reúne accionistas para subir limite de votos para 30%
Miguel Baltazar/Negócios
Maria João Gago 17 de outubro de 2016 às 17:57

O BCP vai reunir os seus accionistas em assembleia-geral a 9 de Novembro, com o objectivo de subir o limite de voto dos actuais 20% para 30% e aumentar o número máximo de administradores de 20 para 25 elementos. Duas decisões que permitem acomodar duas das exigências impostas pelo grupo chinês Fosun para tomar até 30% do capital do banco liderado por Nuno Amado.

 

De acordo com a convocatória da reunião de accionistas, publicada esta segunda-feira, 17 de Outubro, no site da CMVM, o encontro destina-se a alterar o limite de votos existente, a introduzir diversas alterações estatutárias e a alargar de 20 para 25 membros o número máximo de administradores do banco. 

Há duas propostas diferentes quanto à blindagem de estatutos, ambas subscritas pelos quatro maiores accionistas do BCP: Sonangol, Sabadell, EDP e Interoceânico. A primeira, a votar no âmbito do primeiro ponto da ordem de trabalhos, prevê a manutenção do actual limite de votos de 20%.

 

No entanto, esta mesma proposta prevê que a eventual decisão de manter a actual blindagem de estatutos possa ser alterada "por deliberação tomada no âmbito do ponto 2". Ora, a proposta submetida neste ponto da agenda, apresentada pelos mesmos investidores, prevê que o limite de votos suba de 20% para 30%.

 

Certo é que, de acordo com a lei sobre a blindagem de estatutos, ambas as propostas serão sujeitas a deliberação com o actual limite de votos em vigor, uma vez que são apresentadas por accionistas. Para poderem ser decididas sem qualquer limitação, a proposta de alteração da blindagem teria de ser feita pelo conselho de administração, nos termos da legislação sobre este tema.


Relativamente às restantes propostas de alterações estatutárias, além de clarificações, é aberta a possibilidade de o conselho de administração passar a ter três vice-presidentes, mais um do que os dois actualmente consagrados no contrato da sociedade. E é proposto um ajustamento às comissões específicas que emanam da administração.

 

De acordo com a proposta apresentada pela equipa de Nuno Amado, passa a haver três comissões com as seguintes competências: de nomeações e remunerações; de governo societário, ética e deontologia; e de avaliação de riscos.  

 

Também a proposta de aumento de número máximo de administradores, dos actuais 20 para 25 elementos, é apresentada pelo conselho. Já a nomeação dos novos administradores é remetida "para a próxima assembleia-geral", podendo nesse momento acontecer "por eleição" ou "por rectificação de cooptações entretanto efectuadas".

 

A decisão sobre o aumento do número de administradores permite, assim, que o próprio conselho possa cooptar novos elementos, deixando a aprovação para uma assembleia-geral posterior.

Recorde-se que a Fosun está em negociações exclusivas com o BCP. O objectivo dos chineses é entrar no capital do banco português com uma posição superior a 20%, podendo chegar a 30%.

 

Para tal, a Fosun fez uma série de exigências, entre as quais o aumento do limite de votos de 20% para 30%, a fusão das acções do banco, que já está em marcha, e a aprovação dos reguladores. 

(Notícia actualizada às 18:30 com informação sobre todas as propostas)

A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado alcpf 17.10.2016

Nós acionistas vamos levar no lombo... Infelizmente somos uns acionistas bananas que aceita que nos roubem...

comentários mais recentes
Anónimo 17.10.2016

Hoje saí deste cancro, aceitei a perda, pois está aí o reverse stock splite que não vai trazer nada de bom. Estava a contar que os grandes, fizessem subir a cotação, mas pelo que vi hoje, penso que não vai acontecer e vamos ter o BCP na 2ª feira, a valer ( 75x0.0156 = 1.17) e uma semana depois valerá 1 euro ou menos.

Anónimo 17.10.2016

Em suma:
As acções do BCP nem para sucedâneo do papel higiénico servem.

Negócio da china 17.10.2016

As acções passam a valer 1 euro e a Fosun compra-as por 2 cents!

Anónimo 17.10.2016

os acionistas que não fazem parte da máfia daqueles que pensam que são a maioria enganem-se...no dia 9 de novembro os micro e pequenos acionistas vão estar presentes de corpo e alma para defenderem os seus interesses e mostrar que 60% é maior que 40% do capital do bcp amado/fosun rua!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub