Banca & Finanças BdP garante que poupanças no Popular Portugal estão "protegidas"

BdP garante que poupanças no Popular Portugal estão "protegidas"

A actividade do Banco Popular Portugal mantém a "normalidade", mas a unidade do grupo espanhol é integrada no Santander Totta. As poupanças na instituição financeira, que conta com 118 agências, estão salvaguardadas, garante o Banco de Portugal.
BdP garante que poupanças no Popular Portugal estão "protegidas"
Bruno Simão/Negócios
Diogo Cavaleiro 07 de junho de 2017 às 09:10

O Banco Popular Portugal já não pertence ao Popular. A unidade está, agora, integrada no também espanhol Santander, após a medida de resolução através da qual o Popular passa para o grupo liderado por Ana Botin. Aliás, a unidade é incorporada no Santander Totta, o banco sob o comando de António Vieira Monteiro (na foto). 


"Para o Banco Popular Portugal, esta medida não implica qualquer alteração na actividade do banco português, que continua a operar com total normalidade, agora integrado num novo grupo bancário", indica o Banco de Portugal num comunicado emitido esta quarta-feira, 7 de Junho.

 

A decisão da resolução foi anunciada pelo Conselho Único de Resolução, a autoridade europeia competente na resolução de problemas na banca: o Popular foi vendido por um euro ao Santander no âmbito de uma medida de resolução.

 

Nessa venda, vai também o banco de direito português que o grupo espanhol tinha: o Popular Portugal. "A filial portuguesa do Banco Popular Español – o Banco Popular Portugal, S.A. – não foi objecto de qualquer medida de resolução e está incluída no perímetro de venda, pelo que passa a integrar o grupo do Banco Santander", segundo a nota divulgada pelo regulador liderado por Carlos Costa.

 

O banco Popular em Portugal, que estava em processo de transformação em subsidiária do Popular, conta com 118 agências espalhadas pelo país, onde trabalham 901 funcionários - que agora passam a ser trabalhadores do Santander Totta. A instituição tem 322 caixas automáticas no país. Os dados são referentes ao final de 2016.
 

Esta unidade passa agora a fazer parte do grupo Santander e é incorporada no Santander Totta, o banco de direito português do grupo. "O Banco Santander Totta passa a deter uma quota de mercado de cerca de 17%, tornando-se no maior banco privado português em termos de activos e de crédito e um dos maiores em termos de recursos", defende a instituição presidida por Vieira Monteiro. A pública CGD continua a ser o maior banco nacional. 

O crédito referido pelo banco é o crédito líquido, já que em crédito bruto (antes de imparidades), o Totta fica atrás da CGD e do BCP. Nos depósitos concedidos a clientes, o Santander Totta, adquirindo o Popular Portugal, fica como terceiro banco, igualmente atrás da CGD e do BCP.

 

Poupanças salvaguardadas


O regulador considera que a estabilidade foi conseguida com a medida de resolução. "A solução preserva, por isso, a estabilidade do Banco Popular Portugal e contribui para a salvaguarda da estabilidade do sistema financeiro português", esclarece o regulador da banca nacional.

 

As poupanças colocadas na instituição financeira estão salvaguardadas, de acordo com a garantia deixada pelo Banco de Portugal: "Esta solução não contempla financiamento por parte de organismos nacionais e protege as poupanças confiadas ao Banco Popular Portugal, assegura a continuidade dos serviços prestados em Portugal e do financiamento à economia".

 

Esta é a segunda expansão inorgânica do Santander em Portugal em ano e meio. A 7 de Junho de 2017 integra o Popular, depois de a 20 de Dezembro de 2015 ter ficado com o Banif, igualmente no âmbito de uma medida de resolução. No caso espanhol, não há financiamento estatal para financiar a operação – o Santander vai realizar um aumento de capital de 7 mil milhões de euros para absorver os custos. Em Portugal, houve uma injecção de 2,25 mil milhões de euros no Santander Totta para absorver o Banif, a que foram acrescentadas garantias estatais que elevam a fasquia aos 3 mil milhões.




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado bicho 07.06.2017

"BdP garante que poupanças no Popular Portugal estão "protegidas"
Se o BdP garante, eu penso o contrário. pelo passado recente, acreditar no BdP é o mesmo que acreditar no Pai Natal.

comentários mais recentes
Anónimo 07.06.2017

Mais valia estar calado este VIGARO!!! Se eu la tivesse dinheiro era ja amanha sacado...

eduardo.santos 07.06.2017

C U I D A D O.......muito cuidado, este malandro já disse o mesmo aquando do BES e ficamos sem . Este canalha pertence a um gang que deixa todos depenados, eu fiquei sem acções do BES e também do BANIF.....um amigo meu ficou sem 300 mil euros

Amilcar Alho 07.06.2017

Já agora aproveito a oportunidade para informar que as minhas almofadas estão à venda. Vendo barato.

Carlos Costa

bicho 07.06.2017

"BdP garante que poupanças no Popular Portugal estão "protegidas"
Se o BdP garante, eu penso o contrário. pelo passado recente, acreditar no BdP é o mesmo que acreditar no Pai Natal.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub