Energia BE diz que corte de energia agrava riscos do frio e questiona Economia

BE diz que corte de energia agrava riscos do frio e questiona Economia

O Bloco de Esquerda (BE) considerou que a interrupção no abastecimento de electricidade, anunciada pela EDP Distribuições, agrava os riscos da vaga de frio, questionando a tutela se pondera definir limites para as intervenções consoante as condições meteorológicas.
BE diz que corte de energia agrava riscos do frio e questiona Economia
Lusa 21 de janeiro de 2017 às 17:59

Na sexta-feira, a EDP publicou um anúncio num jornal de âmbito nacional, adiantando que iria realizar no domingo trabalhos nas redes de distribuição de energia e que iriam obrigar a interrupções no fornecimento em dez concelhos do país, em alguns casos por períodos até sete horas.

Numa nota enviada à agência Lusa, o BE lembra que "Portugal tem elevados níveis de pobreza energética em termos europeus e a ineficiência térmica é característica de grande parte do parque habitacional do país" e que, por isso, "esta interrupção do abastecimento de electricidade agrava os riscos colocados pela actual vaga de frio e deve ser explicada de forma clara".

Nesse sentido, o BE questionou o Ministério da Economia se pondera "a definição de limites para estas intervenções pré-calendarizadas, que as subordine à existência de condições meteorológicas adequadas".

Uma vez que a EDP justifica os trabalhos com a necessidade de fazer "remodelação e conservação das redes de distribuição", o grupo parlamentar bloquista questiona "qual a razão da calendarização para o pico da estação fria?".

Além disso, o BE pretende saber se o Governo tinha conhecimento deste agendamento e qual a razão da "escassa antecipação (48 horas) deste aviso em relação ao momento da interrupção de abastecimento" e se pondera avançar com "medidas adicionais de aviso aos consumidores", como o envio postal (junto com a facturação).

Questionada pela Lusa, a EDP Distribuição explicou que "são consideradas interrupções por razões de serviço as que decorram da necessidade imperiosa de realizar manobras, trabalhos de ligação, reparação ou conservação da rede sempre que estiverem esgotadas todas as possibilidades de alimentação alternativa a partir de instalações existentes".

Inicialmente, estava previsto que estas "interrupções por razões de serviço" acontecessem nos concelhos de Coimbra, Figueira da Foz (seis horas, em quatro freguesias), Santo Tirso, Trofa, Azambuja (seis horas em duas freguesias do concelho), Cartaxo, Ferreira do Zêzere, Tomar (com uma interrupção entre as 06:00 e as 13:00, em três freguesias do concelho), Lisboa e Albufeira.

Hoje, a EDP Distribuição disse que as interrupções de electricidade programadas para este domingo em alguns concelhos do país serão muito curtas, entre três e quatro minutos, e em ruas específicas.

"A maioria destas acções são realizadas com recurso a geradores cujas ligações e desligações geram interrupções de curta duração - três ou quatro minutos", afirmou a empresa em comunicado enviado à Lusa, referindo que nos avisos sobre os cortes energéticos disponíveis no seu portal na internet (na área 'Interrupções de Energia') estão identificadas as ruas específicas em que se realizarão os trabalhos.

Os concelhos afectados pelos cortes energéticos deste domingo são Coimbra, Santo Tirso, Trofa, Azambuja, Cartaxo, Lisboa e Albufeira, sendo que os trabalhos inicialmente programados para Figueira da Foz, Ferreira do Zêzere e Tomar serão realizados posteriormente.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 dia

Edp um mal menor, o " guito" da fatura vai quase todo para Geringonça que sufoca o povo com impostos, Endesa é Almaraz.

Anónimo Há 1 dia

O BE ja não se preocupa com os jovens que são empurrados para o estrangeiro? Já não chora com os pais no aeroporto? Só cobardia.

Anónimo Há 2 dias

É lamentável que situações como esta aconteçam.Nesta zona não estão previstos cortes, para já.Nem quero pensar no que poderia acontecer.A EDP remete para consulta do site para saber os horários e zonas.Porém este encontra-se em manutenção só acessivel a partir de 23 às 8h.Muito conveniente...

Anónimo Há 2 dias

Só mesmo num país de merda é que se permite a meia dúzia de bestas se permitirem ao luxo de cortar a energia a milhares de pessoas no pico dum dos invernos mais rigorosos dos últimos anos. Ainda por cima, dizem, uma tarefa agendada a tempo e horas, mas só divulgada na véspera. Já agora, podiam aproveitar a maré para fazer a manutenção à barragem de Castelo do Bode e cortar a água a Lisboa. Pelos vistos, quer a energia quer a água têm apenas uma básica rede de alimentação. Estes municípios são uma burla pois 10 não valem 1.
Quantas redes de alimentação têm Azambuja e V.F.XIra? Vão ser todas intervencionadas? Em Azambuja pelo menos havia 3 de 30 KV e de diferentes origens, só na empresa onde eu trabalhava. Aliás, orgulho-me de pertencer à equipa pioneira na importação de energia, quebrando o monopólio da edp. Mas atenção, isto não se aplica ao consumidor doméstico, que não tem qualquer poder negocial e é vitima do sistema.

pub