Banca & Finanças BE diz que posição da DBRS sobre Novo Banco é "chantagem europeia"

BE diz que posição da DBRS sobre Novo Banco é "chantagem europeia"

Criticando a agência de rating canadiana, Catarina Martins afirmou que "o que está a acontecer é uma chantagem europeia por via da DBRS, querendo dizer que os contribuintes têm de pagar para entregar um banco limpo com dinheiros públicos a um fundo abutre estrangeiro."
BE diz que posição da DBRS sobre Novo Banco é "chantagem europeia"
Lusa 13 de janeiro de 2017 às 17:32
A coordenadora do Bloco de Esquerda disse hoje que a agência de 'rating' DBRS está a "fazer chantagem europeia" com a posição assumida sobre o Novo Banco, reiterando estar contra a entrega de dinheiro a um "fundo abutre estrangeiro".

"O que está a acontecer é uma chantagem europeia por via da DBRS, querendo dizer que os contribuintes têm de pagar para entregar um banco limpo com dinheiros públicos a um fundo abutre estrangeiro, que irá fazer dinheiro rapidamente com os activos e isso é inadmissível", afirmou Catarina Martins, em declarações aos jornalistas no Bombarral.

Para a bloquista, depois de o anterior Governo PSD/CDS-PP ter "prometido que não ia cortar um tostão aos contribuintes e a factura ter sido de milhares de milhões de euros", "é altura de falar a verdade", o que para o Bloco de Esquerda passa por assumir que a "resolução foi mal feita e lidar de uma forma séria com o dinheiro dos contribuintes e com o sistema financeiro".

"Uma vez que o dinheiro dos contribuintes está já comprometido, é preciso proteger a economia portuguesa, as empresas que estão ligadas ao Novo Banco, as pessoas que têm lá as suas poupanças e isso passa por manter o Novo Banco público e por uma gestão que possa responsabilizar quem criou a situação do BES [Banco Espírito Santo]", defendeu.

A coordenadora do BE falava à margem de uma visita ao tribunal do Bombarral, um dos 20 que foi reaberto no início do ano.

A agência de 'rating' DBRS alertou que uma eventual nacionalização do Novo Banco poderia afectar o 'rating' de Portugal e acarretar "dificuldades" junto da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu, segundo noticiou a SIC Notícias.



A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado joaoaviador 13.01.2017

Esta, tal como diz o outro, é que vai ser o futuro ministro das finanças. Digam-me só quando para poder planear a minha vida!

comentários mais recentes
pertinaz 15.01.2017

CAMBADA DE ANEDOTAS......

SEM A DBRS JÁ ESTAVAM NO LIXO !

nb 13.01.2017

Cambada de vígaros... Se não fosse a DBRS, já não existia geringonça nem mer*da nenhuma. Já estava outro resgate em ação.

Anónimo 13.01.2017

Cara Catarina quem ajoelha vai ter que rezar. E haverá alguém mais Abutre que os geringonços que querem vasculhar as contas bancárias do cidadão comum? Já agora para quando o tão prometido referendo exit_tuga?

nin 13.01.2017

E não deixa de ser engraçado Catarina, no fundo, admitir que os Fundos Abutres (ainda por cima) Estrangeiros conseguem sempre ganhar dinheiro com coisas em que o Estado Português Nacional consegue sempre perder dinheiro. Não sei quem é mais abutre.

ver mais comentários
pub