Desporto Benfica foi campeão dos lucros entre os vencedores das ligas europeias

Benfica foi campeão dos lucros entre os vencedores das ligas europeias

Um estudo da consultora KPMG conclui que entre os 12 clubes europeus que venceram as respectivas ligas na época de 2016/2017, o Benfica foi o que registou o maior lucro.
reuters reuters Michael Kooren reuters reuters reuters reuters reuters reuters
Celso Filipe 16 de janeiro de 2018 às 10:32

O Benfica foi na época de 2016/2017 o clube mais lucrativo da Europa, no universo daqueles que foram campeões das respectivas ligas. Esta conclusão consta do estudo "The European Champions Report" elaborado pela KPMG.

Segundo esta consultora, o Benfica registou durante a referida época um lucro de 44,5 milhões de euros, valor que o coloca à frente de clubes como o Real Madrid, Chelsea, Bayern Munique ou Juventus.

Este resultado do Benfica, de acordo com a KPMG, deve-se sobretudo à venda dos jogadores Victor Lindelof (Manchester United) e Gonçalo Guedes (Paris Saint Germain), as quais geraram, respectivamente, um lucro de 23 e 26 milhões de euros.

O "The European Champions Report" compara o desempenho financeiro dos campeões nacionais de 12 ligas europeias: Mónaco FC, Besiktas, Celtic, Chelsea , FC Basel 1893, Bayern Munique, Spartak Moscovo, FC Viitorul Constanta, Feyenoord , Juventus, Real Madrid  e Benfica.

 

O estudo revela ainda que o Real Madrid foi o clube que obteve as maiores receitas operacionais, 671 milhões de euros, enquanto o Mónaco foi aquele que registou o maior crescimento anual, 86%, a que correspondeu uma receita de 144 milhões de euros.

Um facto considerado destacado pela KPMG é o de que "todos os campeões europeus incluídos no relatório obtiveram lucros depois de impostos, espelhando um novo paradigma na indústria do futebol, mais virado para a sustentabilidade financeira".

Andrea Sartori, director global de desportos da KPMG, citado num comunicado divulgado pela consultora sublinha que "as receitas geradas pela Liga dos Campeões continuam a ser um forte impulsionador deste crescimento, especialmente para clubes de tamanho médio, pois impactam não só a rubrica das transmissões televisivas, mais também receitas de bilheteira e comerciais". Num cenário onde são cada vez mais frequentes, estes especialistas sublinha que os clubes "que se destaquem na formação e ‘trading’ de jogadores tenderão a ter vantagens competitivas". E neste particular cita as receitas obtidas com transferências por clubes como o Benfica, o Chelsea e a Juventus.

O estudo mostra ainda que o Real Madrid lidera o campeonato das redes sociais, tendo 210 milhões de seguidores em todo o mundo, enquanto o Benfica se fica pelos 5,66 milhões. 




pub