Web Summit Benfica usa as novas tecnologias para melhorar “condição física dos atletas”

Benfica usa as novas tecnologias para melhorar “condição física dos atletas”

O CEO do Benfica assume que o clube está a desenvolver “modelos preditivos”, com base em dados que são recolhidos junto dos atletas, para melhorar a condição física.
Benfica usa as novas tecnologias para melhorar “condição física dos atletas”
Bruno Simão
Ana Laranjeiro 07 de novembro de 2017 às 18:08

Há mais de 10 anos que o Benfica recolhe dados junto dos seus atletas com o objectivo de melhorar a sua condição física. Domingos Soares de Oliveira, CEO do Benfica, esteve esta terça-feira, 7 de Novembro, no Web Summit e explicou que com estes dados "o objectivo é conseguir que o rendimento individual de cada atleta possa ser melhorado".

 

"Queremos ter o máximo de informação possível que nos permita prever [tanto] melhorias de rendimento [como] seja possibilidade de lesão. A situação alimentar é controlada – é feito um trabalho com as famílias no sentido de terem uma alimentação mais adequada" e o sono é também alvo de monitorização, explicou o responsável numa conferência de imprensa, durante o evento.

 

Soares de Oliveira defendeu que o desempenho dos atletas pode ser sempre melhorado e que "até os recordes do mundo podem ser batidos" caso seja possível "conseguirmos saber o momento certo em que o atleta estará na melhor condição física".

 

"Com base nos dados que temos [estado a recolher] desde 2005, estamos a construir modelos preditivos. Isto é um trabalho feito pela Microsoft e com PHD mas com o objectivo de melhorar o rendimento físico dos atletas", acrescentou.

 

Anteriormente, o CEO do Benfica participou num painel no Web Summit, acompanhado por dois guarda-redes do clube: Júlio Cesar e Mile Svilar. Júlio Cesar, a propósito da utilização das novas tecnologias, destacou que "acompanha as mudanças no futebol" e quem ganha com elas é o próprio futebol "que fica mais bonito" e ganhou alguma velocidade.

 

Ainda durante a sua intervenção no painel, o CEO do clube não escondeu que é "difícil reter" jogadores quando clubes com mais poder financeiro mostram interesse nestes profissionais. Defendeu, ainda assim, o papel da formação como um dos meios para descobrir talentos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub