Empresas BES lucra 96,1 milhões de euros em 2012

BES lucra 96,1 milhões de euros em 2012

O BES fechou o ano passado com um lucro de 96,1 milhões de euros, num período em que o produto bancário cresceu 32,2%.
BES lucra 96,1 milhões de euros em 2012
Negócios 05 de fevereiro de 2013 às 18:01

O resultado líquido do BES foi de 96,1 milhões de euros, em 2012, o que compara com o prejuízo de 108,8 milhões de euros registado no ano anterior - num período marcado por provisões e amortizações relacionadas com a Grécia.

 

A contribuir para os resultados esteve o aumento de 32,2% do produto bancário que totalizou 2,58 mil milhões de euros. Já as receitas progrediram 1,8% face ao anterior, para 1.149,1 milhões de euros, permitindo um crescimento de 74,2% do resultado bruto do banco.

 

O aumento do produto bancário foi suportado área de operações financeiras e diversos, que contribuiu em 596,5 milhões de euros para o produto do banco em 2012, enquanto, em 2011, tinha dado um contributo negativo de 21,9 milhões de euros.

 

O produto bancário da área comercial cresceu 1,9% para mais de dois mil milhões de euros graças ao contributo das receitas com serviços a clientes que foram de 828,4 milhões de euros, mais 4,8% do que no ano passado.

 

Pela negativa destaca-se a evolução das provisões, que cresceram 41,4% para 1.199,4 milhões de euros, levando o resultado antes de impostos a saldar-se em 230,6 milhões de euros. 

 

Actividade internacional explica mais de 90% dos lucros

 

O resultado líquido da actividade internacional do BES ascendeu a 87,6 milhões de euros em 2012, sendo assim responsável por 91,2% do resultado líquido do banco.

 

Os lucros relativos à actividade internacional caíram 45,5% face ao resultado de 160,8 milhões de euros, revelou o comunicado divulgado junto da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Na área internacional, o BES viu o produto bancário contrair 2,0% para 652,5 milhões de euros e os custos operacionais aumentarem 9,3%.

 

Também a contribuir de forma negativa para o resultado nesta área estiveram as provisões criadas, que aumentaram de 69,8 milhões de euros para 225,9 milhões.

 

Excluindo impactos não recorrentes, BES teria lucros de quase 200 milhões

 

No comunicado divulgado esta tarde, o banco faz ainda a análise dos impactos não recorrentes que as contas do banco sofreram em 2012.

 

Se, em 2011, sem o impacto das perdas extraordinárias de 275,4 milhões, o BES teria tido um resultado líquido de 166,6 milhões, em 2012, esse resultado teria crescido 17% para 194,9 milhões de euros.

 

Em 2012, as contas do banco sofreram o impacto da compra da participação que permitiu ao banco obter o controlo da seguradora BES Vida no valor de 54,1 milhões de euros. Além disso, teve de inscrever perdas de 55,1 milhões de euros no valor da carteira de crédito imobiliário em virtude do programa de inspecções feitas aos bancos. No ano anterior, o impacto foi de 275,4 milhões de euros, sendo 76,1 milhões explicados pela transferência do fundo de pensões para o Estado, 143,9 milhões explicados por perdas na participação na BES Vida e pela venda de créditos de 55,4 milhões de euros. 

 

(Notícia actualizada às 19h com mais detalhes sobre os resultados)


A sua opinião9
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 05.02.2013

Produto bancário de 2580 milhões!!! Dava para comprar BCP num ano e ainda pagava dividendos!! LOL

comentários mais recentes
FTUOUNÃO 06.02.2013

Ninguém tenha pena de banqueiros, que eu também não tenho. Agora uma coisa vos digo: muitas vezes assisti a quem saía de agências a vociferar. Motivo: mais uma operação de crédito recusada. E logo agora que queriam comprar o IPHONE ou o IPAD porque o vizinho do lado também tem e está na moda. É uma opção pessoal ? Certo. Queixam-se que os bancos ganham muito, pois cobram o dinheiro caro ? Certo. Uma comparação: alguém se queixa do preço a que compram as laranjas ou as cebolas, tendo em conta o preço a que são pagos ao agricultor ? Não. E alguém os vai apanhar á terra? Não me parece. Seria a mesma coisa que só efetuar uma compra quando existir dinheiro para isso. Já não ajudavam os banqueiros.

Anónimo 05.02.2013

È casa para dificultar os que qurem cumprir os seus comprumissos nos creditos tantas barreiras

Miguel 05.02.2013

Qual eram as previsões de resultado pelos analistas?

Anónimo 05.02.2013

Portugal está sobre o dominio de Espanha, ajuda o teu país a recuperar a sua soberania! http://tinyurl.com/AjudaPTAgora

ver mais comentários
pub